Conceição das Pedras

Conceição das Pedras-MG
banner

Bem-vindo a Conceição das Pedras!

banner

Aqui você vai encontrar inúmeras pousadas em Conceição das Pedras, opções de hospedagem em hotéis, campings e muito mais. Informações atualizadas e fotos enviadas por usuários do site estão disponíveis no menu lateral.

Informações de Conceição das Pedras

 

Roteiros do Brasil

Região Turística Estâncias do Sul

Circuito Turístico Caminhos do Sul de Mina

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE

A História da formação do povoado de Conceição das Pedras está diretamente ligada à Inconfidência Mineira e a própria História do Brasil. Com as descobertas de ouro, durante o século XVIII em Minas Gerais, houve uma grande migração a procura do minério na região. Por volta de 1776, Inácio José de Alvarenga Peixoto, então recém nomeado ouvidor da Comarca do Rio das Mortes, compra grande extensões de terra em Minas e em particular nesta região. Casa-se com Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira, que residia na Vila de Santo Antônio da Campanha e era de família abastada e dona de lavras de mineração. Em visita a esta região, Alvarenga descobre um lago e pensa na possibilidade de encontrar ouro. Envia, então, 3 escravos mineradores para fazer uma pesquisa no local que concluem na existência de riquezas minerais.
Diante disso, Alvarenga destina cerca de duzentos escravos para iniciar a lavra de ouro sob o comando dos 3 escravos. Para que a água escoasse do lago, fizeram um corte de 10 metros de profundidade por 2,5 de largura nas pedras, usando ferramentas rudimentares. Houve uma extração fenomenal de ouro.
Com a imposição da cobrança de impostos na Capitania das Minas, denominada “derrama”, Alvarenga, que participava do movimento da conspiração mineira, vê a possibilidade de esconder todo o ouro acumulado a fim de não pagar os tributos. Envia mensagem a sua esposa, Bárbara Heliodora, para que delegasse um emissário com as ordens de esconder o ouro e eliminar os escravos em seguida.
Após esconder quarenta e duas arrobas de ouro, numa caverna, os escravos foram beneficiados com um banquete oferecido pelos seus chefes, porém os alimentos estavam envenenados, causando a morte de todos os escravos.
Os três chefes, Azulão, Sucupira e Capituva, de posse de um mapa com a localização do esconderijo, seguem viagem em direção à cidade de Campanha, onde residia Bárbara Heliodora. Ao subir a serra na direção da antiga fazenda do Sr. Joaquim Aurélio, Azulão assassina Sucupira e Capituva e, mais do que depressa segue para Vila Rica. Enquanto isso, Alvarenga é preso em Vila Rica e enviado para o Presídio da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. Sua esposa acaba enlouquecendo.
Ao chegar em Vila Rica, Azulão toma ciência dos fatos e parte para o Rio de Janeiro.
Já nesta época, os condenados da Conspiração haviam sido degredados para Angola, na África. Azulão não vê outra saída senão partir para a África também. O esperado encontro entre eles não aconteceu e, constituindo família, Azulão nunca mais voltou ao Brasil. Seu filho casou-se com uma boliviana e existe a possibilidade deste mapa estar na Bolívia.
Após a prisão de Alvarenga Peixoto, o governo envia o Sargento Mor Inácio de Magalhães para fiscalizar a região e evitar minerações clandestinas. Por ser muito enérgico, tornou-se conhecido pela alcunha de Roque Bravo. Ha relatos de que quem não o cumprimentasse com honrarias era imediatamente enviado à morte.
Assim no povoado, denominado São Bom Jesus, foi construída uma capela e algumas famílias de descendência portuguesa fixaram residência. Dentre estas famílias, destaca-se o casal Antônio e Mariana Nunes. Já em 1910, por iniciativa do Padre Roque Consentino, a padroeira passa a ser Nossa Senhora da Conceição. Em 1920, devido ao nome da padroeira, o povoado passou a chamar-se Conceição das Pedras.
Em 1930 passou à categoria de Distrito, pertencente à Comarca de Santa Rita do Sapucaí. Em 1932, passou a pertencer ao Município de Natércia, antiga Santa Catarina. No dia 1º de março de 1963 foi instalado o Município de Conceição das Pedras. Na ocasião foi designado como intendente municipal o Sr. Joaquim Eufrásio de Carvalho, por um período de 6 meses, cuja missão era preparar o Município para a posse do primeiro prefeito, eleito pelo povo, e reger com as leis de Origem, isto é, de Natércia, até que o Município constituísse sua própria Legislação.
A primeira eleição municipal de Conceição das Pedras foi realizada em 30 de junho de 1963, sendo eleito o Sr. Francisco Rodrigues dos Santos, que tomou posse em 29 de agosto do mesmo ano. 

Significado do Nome

No povoado, antes, denominado São Bom Jesus, foi construída uma capela e algumas famílias de descendência portuguesa fixaram residência. Dentre estas famílias, destaca-se o casal Antônio e Mariana Nunes. Já em 1910, por iniciativa do Padre Roque Consentino, a padroeira passa a ser Nossa Senhora da Conceição. Em 1920, devido ao nome da padroeira, o povoado passou a chamar-se Conceição da Pedra, modificado posteriormente
para Conceição das Pedras.
Em 1930 passou à categoria de Distrito, pertencente à Comarca de Santa Rita do Sapucaí. Em 1932, passou a pertencer ao Município de Natércia, antiga Santa Catarina. No dia 1º de março de 1963 foi instalado o Município de Conceição das Pedras.
Obs.: A serra da Pedra Branca, divide o município com os outros municípios de Cristina e Pedralva. O nome se deve em relação ao nome da Serra.

Aniversário da Cidade:

1º de Março

Gentílico:

pedrense

População:

2.749 habitantes  

hspace=0 CARACTERÍSTICAS:

Conceição das Pedras é uma típica cidade mineira localizada entre as montanhas do sul de Minas Gerais, com apenas 3.530 habitantes, guarda raras belezas e tranqüilidade. Com natureza exuberante, recheada de cachoeiras e matas nativas, desponta como nova alternativa aos turistas que buscam lugares calmos, clima ameno e gente hospitaleira.

Clima:

Tropical de Altitude  

Temperatura Média:

18,2º C  

hspace=0 COMO CHEGAR:


Localização:

Região Sul do Estado de Minas Gerais  

Limites:

Natércia, Jesuânia, Olímpio Noronha, Cristina, Pedralva  

Acesso Rodoviário:

 

Distâncias:

Da Capital:

423 km   

Outras:

 

 

hspace=0 TURISMO:

Resumo:


Principais Pontos Turísticos:

Cachoeira do Bandeirantes
 
Cachoeira da Usina 
 
A Cachoeira da Usina está situada a 5 km do centro da cidade. É formada pelo Rio das Pedras e afluentes. Tem aproximadamente 5m de largura e 50m de altura. Suas águas caem em 5 quedas formando um poço de 20m de diâmetro com apenas 30 cm de profundidade ao centro podendo chegar a 2m nas extremidades. Possui uma grande pedra quase que ao centro do poço de onde os visitantes costumam ficar sentados admirando sua beleza.
A Cachoeira da Usina recebeu esse nome devido a Usina Hidrelétrica instalada aí em meados do século 20 a qual gerava energia elétrica para várias cidades da região entre elas Conceição das Pedras, Natércia, Santa Rita do Sapucaí entre outras.

Desativada algumas décadas depois, guarda ainda alguns resquícios da época em que funcionou como, por exemplo, a casa do diretor da usina, de seus colonos, as casas de máquinas e algumas marcas da tubulação. Uma das casas de máquinas foi demolida, em função do tempo e da má conservação, restando-se apenas a sua base que tornou-se uma espécie de mirante de onde pode-se contemplar a grande queda e receber dela uma brisa refrescante proporcionada pela sua abundância e altura. Ao redor da cachoeira um grande gramado utilizado como estacionamento e local de descanso e brincadeiras para seus diversos tipos de visitantes.
 
Como Chegar 
 
Partindo da Praça da Igreja Matriz de N. S. da Conceição, seguir pela Rua Sebastião Saturnino Casemiro em direção à Natércia. No km 1 virar à esquerda sentido Bairro da Usina. Seguir em frente até o km 5 sempre em linha reta obedecendo sempre a estrada mais larga. Antes de chegar na ponte de madeira, entrar à esquerda na porteira.
O trecho é de estrada de chão em bom estado de conservação. Não há meios de transporte até o local. 

Serra da Pedra Branca 

A Pedra Branca são formações rochosas localizadas a 1.850m de altitude, destacando-se entre elas as quatro maiores. Situa-se na serra que divide os municípios de Cristina, Pedralva e Conceição das Pedras, sendo esta a detentora da maior e mais bela parte. O acesso a ela é feito pelo lado de Conceição das Pedras, pois o lado de Cristina e Pedralva é todo coberto pela densa mata atlântica.
Do alto das pedras podem ser avistadas várias cidades como Conceição das Pedras, Pedralva, São José do Alegre, São Tomé das Letras, entre outras; o Observatório Nacional de Astrofísica do CNPq de Brasópolis; a Rodovia Fernão Dias; o Pico das Agulhas Negras em Resende e as serras de Itatiaia ambos no Rio de Janeiro, entre outros.
O acesso ao local é feito por uma trilha aberta em subida acentuada. Ao vencer esta subida, inicia-se uma trilha em mata fechada que se segue de uma pedra a outra. Algumas destas pedras não são indicadas sem a utilização de equipamentos de segurança.
A natureza é abundante com várias espécies de plantas nativas como bromélias e orquídeas dos mais variados tipos e cores. O por do sol é um espetáculo à parte, mas aconselha-se a esperá-lo somente quando estiver acampado lá em cima, pois a descida torna-se extremamente difícil no escuro.  
Como Chegar   
Partindo da Praça da Igreja Matriz de N. S. da Conceição, seguir pela Rua José Antônio de Faria e Avenida Quito Rodrigues.
No trevo, no km 2, entrar a esquerda seguindo em linha reta tomando como referência a Igreja de Santo Expedito. Após a Igreja quando começar a subir entrar a direita.

A partir daí inicia-se um trecho de aproximadamente 3 km de subida íngreme.
No km 8 quando terminar a subida, na primeira casa será possível avistar a Pedra Branca. Após a casa entrar a direita e seguir em linha reta, sempre subindo, por mais 2 km até chegar a uma porteira. Geralmente, a porteira fica trancada por se tratar de propriedade particular, mas com acesso permitido.

O trecho de carro termina neste ponto. É preciso pular a porteira e a partir daí inicia-se 1 km de subida até os pés da Pedra Branca. Deste ponto será mais uma hora de subida íngreme por uma trilha até o alto da pedra. Quando vencer a subida adentrar a mata pela trilha até chegar a primeira pedra. Desta seguem outras trilhas para as outras pedras.  
  
Igreja de Santo Expedito    
 
A Capela de Santo Expedito foi construída pela primeira proprietária da Fazenda das Pedras, em meados do século XX, em devoção ao santo, após promessas e alcance de graças. É uma espécie de Santa Cruz, à beira da estrada, de 3m de comprimento por 2m de largura, muito comum na região.
Com o passar dos anos, Santo Expedito, o santo das causas urgentes, passa a ser grandiosamente cultuado por todo o país, e conseqüentemente em Conceição das Pedras, por haver uma capelinha em sua devoção, mas essa capelinha logo se torna insuficiente para receber os devotos. Surge então a idéia de construir uma nova igreja e no dia 19 de abril (dia de Santo Expedito) de 1998 é realizada a primeira festa improvisada e pequena para arrecadar fundos e inicia-se a construção da nova igreja. A partir daí a festa toma uma amplitude regional recebendo mais devotos a cada ano e passa a fazer parte do calendário de eventos da cidade.
Hoje, a igreja está em fase de acabamento e já não mais comporta os devotos, tamanha a devoção a Santo Expedito, o santo das causa urgentes.
Todos os anos a festa é realizada no dia 19 de abril e após o término da igreja continuará a ser realizada.
 
Como Chegar

Partindo da Praça da Igreja Matriz de N. S. da Conceição, seguir pela Rua José Antônio de Faria e Avenida Quito Rodrigues.
No trevo, no km 2, entrar a esquerda seguindo sempre em linha reta obedecendo a estrada principal (mais larga).

A Fazenda das Pedras localiza-se no km 6 e a Igreja de Santo Expedito fica dentro dela à beira da estrada, do lado esquerdo.

hspace=0 EVENTOS:

Calendário de Janeiro a Dezembro:


 

hspace=0 INFORMAÇÕES ÚTEIS:

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONCEIÃO DAS PEDRAS

E-mail: [email protected]

Telefones: (35) 3664-1222

Sites: http://www.conceicaodaspedras.mg.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTA:

EMPRESAS DE ÔNIBUS DA REGIÃO:

Viação Pássaro Verde

SAC: 0300 789 44 00

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:


CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

OFÍCIO DO REGISTRO CIVIL E TABELIONATO DE NOTAS:
 
Rua Apulchro de Castro Teodoro, 22 - Bairro: Centro
Telefone: (35) 9823-0828

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites: http://portal.mj.gov.br

http://pt.wikipedia.org

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE: 

Comentários de Conceição das Pedras

conheço sim Conceição das Pedras. Minha esposa é de lá inclusive todos os seus parentes. Passei minhas férias lá, foram maravilhosas. O povo é muito hospitaleiro, carinhoso e gostam duma festa rapaz!!! Assim que possível enviarei fotos recentes de lá.
Por: Josenildo Pereira da Silva

História A História da formação do povoado de Conceição das Pedras está diretamente ligada à Inconfidência Mineira e a própria História do Brasil. Com as descobertas de ouro, durante o século XVIII em Minas Gerais, houve uma grande migração a procura do minério na região. Por volta de 1776, Inácio José de Alvarenga Peixoto, então recém nomeado ouvidor da Comarca do Rio das Mortes, compra grande extensões de terra em Minas e em particular nesta região. Casa-se com Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira, que residia na Vila de Santo Antônio da Campanha e era de família abastada e dona de lavras de mineração. Em visita a esta região, Alvarenga descobre um lago e pensa na possibilidade de encontrar ouro. Envia, então, 3 escravos mineradores para fazer uma pesquisa no local que concluem na existência de riquezas minerais. Diante disso, Alvarenga destina cerca de duzentos escravos para iniciar a lavra de ouro sob o comando dos 3 escravos. Para que a água escoasse do lago, fizeram um corte de 10 metros de profundidade por 2,5 de largura nas pedras, usando ferramentas rudimentares. Houve uma extração fenomenal de ouro. Com a imposição da cobrança de impostos na Capitania das Minas, denominada “derrama”, Alvarenga, que participava do movimento da conspiração mineira, vê a possibilidade de esconder todo o ouro acumulado a fim de não pagar os tributos. Envia mensagem a sua esposa, Bárbara Heliodora, para que delegasse um emissário com as ordens de esconder o ouro e eliminar os escravos em seguida. Após esconder quarenta e duas arrobas de ouro, numa caverna, os escravos foram beneficiados com um banquete oferecido pelos seus chefes, porém os alimentos estavam envenenados, causando a morte de todos os escravos. Os três chefes, Azulão, Sucupira e Capituva, de posse de um mapa com a localização do esconderijo, seguem viagem em direção à cidade de Campanha, onde residia Bárbara Heliodora. Ao subir a serra na direção da antiga fazenda do Sr. Joaquim Aurélio, Azulão assassina Sucupira e Capituva e, mais do que depressa segue para Vila Rica. Enquanto isso, Alvarenga é preso em Vila Rica e enviado para o Presídio da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. Sua esposa acaba enlouquecendo. Ao chegar em Vila Rica, Azulão toma ciência dos fatos e parte para o Rio de Janeiro. Já nesta época, os condenados da Conspiração haviam sido degredados para Angola, na África. Azulão não vê outra saída senão partir para a África também. O esperado encontro entre eles não aconteceu e, constituindo família, Azulão nunca mais voltou ao Brasil. Seu filho casou-se com uma boliviana e existe a possibilidade deste mapa estar na Bolívia. Após a prisão de Alvarenga Peixoto, o governo envia o Sargento Mor Inácio de Magalhães para fiscalizar a região e evitar minerações clandestinas. Por ser muito enérgico, tornou-se conhecido pela alcunha de Roque Bravo. Ha relatos de que quem não o cumprimentasse com honrarias era imediatamente enviado à morte. Assim no povoado, denominado São Bom Jesus, foi construída uma capela e algumas famílias de descendência portuguesa fixaram residência. Dentre estas famílias, destaca-se o casal Antônio e Mariana Nunes. Já em 1910, por iniciativa do Padre Roque Consentino, a padroeira passa a ser Nossa Senhora da Conceição. Em 1920, devido ao nome da padroeira, o povoado passou a chamar-se Conceição das Pedras. Em 1930 passou à categoria de Distrito, pertencente à Comarca de Santa Rita do Sapucaí. Em 1932, passou a pertencer ao Município de Natércia, antiga Santa Catarina. No dia 1º de março de 1963 foi instalado o Município de Conceição das Pedras. Na ocasião foi designado como intendente municipal o Sr. Joaquim Eufrásio de Carvalho, por um período de 6 meses, cuja missão era preparar o Município para a posse do primeiro prefeito, eleito pelo povo, e reger com as leis de Origem, isto é, de Natércia, até que o Município constituísse sua própria Legislação. A primeira eleição municipal de Conceição das Pedras foi realizada em 30 de junho de 1963, sendo eleito o Sr. Francisco Rodrigues dos Santos, que tomou posse em 29 de agosto do mesmo ano.
Por: Josenildo Pereira da Silva

Cachoeira da Usina A Cachoeira da Usina está situada a 5 km do centro da cidade. É formada pelo Rio das Pedras e afluentes. Tem aproximadamente 5m de largura e 50m de altura. Suas águas caem em 5 quedas formando um poço de 20m de diâmetro com apenas 30 cm de profundidade ao centro podendo chegar a 2m nas extremidades. Possui uma grande pedra quase que ao centro do poço de onde os visitantes costumam ficar sentados admirando sua beleza. A Cachoeira da Usina recebeu esse nome devido a Usina Hidrelétrica instalada aí em meados do século 20 a qual gerava energia elétrica para várias cidades da região entre elas Conceição das Pedras, Natércia, Santa Rita do Sapucaí entre outras. Desativada algumas décadas depois, guarda ainda alguns resquícios da época em que funcionou como, por exemplo, a casa do diretor da usina, de seus colonos, as casas de máquinas e algumas marcas da tubulação. Uma das casas de máquinas foi demolida, em função do tempo e da má conservação, restando-se apenas a sua base que tornou-se uma espécie de mirante de onde pode-se contemplar a grande queda e receber dela uma brisa refrescante proporcionada pela sua abundância e altura. Ao redor da cachoeira um grande gramado utilizado como estacionamento e local de descanso e brincadeiras para seus diversos tipos de visitantes. Como Chegar Partindo da Praça da Igreja Matriz de N. S. da Conceição, seguir pela Rua Sebastião Saturnino Casemiro em direção à Natércia. No km 1 virar à esquerda sentido Bairro da Usina. Seguir em frente até o km 5 sempre em linha reta obedecendo sempre a estrada mais larga. Antes de chegar na ponte de madeira, entrar à esquerda na porteira. O trecho é de estrada de chão em bom estado de conservação. Não há meios de transporte até o local.
Por: Josenildo Pereira da Silva

amo a sua cidade pq e hum cidade muito acolhedora e tb tenho familia q reside ai sao pessoas simples e pura de coraçao
Por: Thelma ap de freitas silverio

gostei muito foi co clima; Os moradores são pessoas muito hospitaleiras.
Por: Sueli P. Silva

0
hotéis, pousadas e serviços encontrados em Conceição das Pedras

Envie seu comentário sobre Conceição das Pedras

banner