Boipeba

Boipeba-BA
banner

Bem-vindo a Boipeba!

banner

Inmeras opes de hotis em Boipeba e pousadas so uma das atraes desta seo do Portal Frias. Alm dessas e outras opes de hospedagem, voc ter acesso a informaes atualizadas e fotos enviadas por internautas da cidade de Boipeba.


A Ilha de Boipeba um dos lugares mais lindos do litoral baiano. Pouco explorado pelo turismo, o lugar ainda conserva caractersticas caiaras em estruturas arquitetnicas e, principalmente, na natureza. Vale a pena conhecer a regio e se encantar pela beleza extica do lugar.

Principais pontos tursticos de Boipeba

Boipeba faz parte do Arquiplago de Tinhar, uma rea de Preservao Ambiental. A cidade se chama Boibepa porque faz referncia a uma tartaruga marinha muito comum na regio, chamada pelos ndios de cobra chata.

Boipeba cercada pelo Oceano Atlntico e pelo Rio do Inferno. A mistura desses dois tipos de gua faz do lugar um centro de ecossistema diferenciado. O turismo em Boipeba e seus pontos tursticos giram em torno da natureza exuberante.

Em Boipeba, voc poder conhecer os povoados. O mais importante deles o povoado da Velha Boipeba, que concentra grande parte da arquitetura histrica e mais de mil e quinhentos pescadores. Por l, voc pode conhecer a Igreja do Esprito Santo, estrutura erguida no sculo 17.

J no povoado de Morer, local cercado pelo Oceano Atlntico, voc poder aproveitar um pouco de infraestrutura, como restaurantes, bares, pousadas e locais de servios essenciais como farmcias, pronto-atendimento e polcia. Para chegar ao local, preciso utilizar o transporte de canoas.

No sul de Boipeba, voc pode conhecer o povoado de So Sebastio, atrativo que fica na Ponta dos Castelhanos. A principal atrao do povoado uma gruta utilizada como esconderijo por grupos de jesutas na poca da colonizao do Brasil. Os pregadores catlicos eram perseguidos por ndios e fugiam para dentro da gruta. Os pescadores contam muitas histrias sobre o lugar.

Como Boipeba uma ilha de pescadores, os pontos tursticos mais interessantes so passeios de barco pela costa da ilha para conhecer pequenas praias que sequer foram exploradas pelas pessoas. Para isso, basta fazer contato com pescadores dispostos a te levar para um passeio.

Nos restaurantes, voc vai encontrar muitos pratos feitos base de frutos do mar por um preo atraente. Os pescadores fazem questo de abastecer a ilha com peixe fresco e camares especiais todos os dias.

Informaes de Boipeba

ROTEIROS DO BRASIL

Região Costa do Dendê

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE:

Em 1531 Martim Afonso de Souza zarpa da Bahia, avista a ilha e nomeia-a de "Tynharéa".
Na divisão do Brasil em capitanias hereditárias, Jorge Figueiredo Correia recebe da Coroa as terras que mais tarde seriam conhecidas como a capitania dos Ilhéus.
Naufrágio do barco espanhol 'Madre de Dios' na atual Ponta dos Castelhanos, no sul da ilha de Boipeba. Por esta ocasião, estava de passagem pelas ilhas, a figura carismática de Caramuru.
Francisco Romero, enviado de Figueiredo Correia como lugar-tenente, zarpa de Lisboa chegando a Salvador em dezembro.
Francisco Romero escolhe Morro de São Paulo como sede da capitania, batiza a vila e começa as construções. Pouco tempo depois, decide transferir a vila e fundar a atual cidade de Ilhéus.
Figueiredo Correia cria várias sesmarias. Uma delas abrangia aproximadamente a área entre as atuais cidades de Itacaré e Valença, e é doada a Mem de Sá, futuro Governador Geral.
Os Jesuítas se estabelecem em Taperoá, em frente às ilhas, e em Cairú.
A grande epidemia de varíola resulta em morte e dispersão dos Tupinambás na região, abrindo caminho para os Aimorés, que vinham do sul.
Mem de Sá, já Governador Geral, doa aos jesuítas a chamada sesmaria das Doze Léguas que ele ganhou em 1537.
Os Aimorés atacam Porto Seguro e Ilhéus. Os refugiados chegam a Cairú e Boipeba.
Lucas Giraldes, segundo donatário da Capitania dos Ilhéus, ordena oficialmente a criação das vilas de Cairú, Boipeba e Camamu. A sesmaria dos jesuítas é conhecida como as doze léguas de Camamu.
Fundação de Nossa Senhora do Santo Amparo, atual cidade de Valença.
Os Aimorés atacam a região de Tinharé e causam o abandono completo do povoado de N. Sra. do Amparo e a fuga dos moradores pelas ilhas.
Em Morro de São Paulo, a família Saraiva-Goes manda construir a capela de Nossa Senhora da Luz no alto do Morro, onde hoje se encontra o farol.
Os jesuítas fundam a Residência de São Francisco Xavier no Galeão, ponta oeste da ilha de Tinharé.
Primeira visita de uma esquadra holandesa às águas de Tinharé, sob o comando de Jacob Willekens e Johan van Dortt, antes de tomar Salvador.
Os holandeses são expulsos de Salvador. Menos de um mês depois, Tinharé recebe a visita de uma segunda esquadra holandesa, sob o comando de Boudewijn Hendriczood. Está se dispersa ao saber da retomada.
Pieter Van Heyn ataca Salvador várias vezes, permanecendo por meses na região, antes de ir para o Caribe. Envia uma embarcação sob o comando de um brasileiro, um certo 'Mãozinha', para saquear a ilha de Tinharé. Ocorre, pela ocasião, segundo a lenda, um milagre atribuído à N. Senhora da Luz, que teria criado uma 'ilusão' de que a costa estava protegida por um grande batalhão de soldados, afugentando os invasores.
Começa a construção da Fortaleza do Morro de São Paulo, ordenado pelo Governador Geral Diogo Luís de Oliveira. Esta primeira fase das construções acaba levando quase cem anos para a sua conclusão, constituindo a estrutura do Forte Velho, ou Forte da Conceição.
O Governador Antônio Teles da Silva obriga os moradores do arquipélago a abastecerem de farinha todas as tropas até Salvador.
Oficialização do funcionamento do forte em Morro de São Paulo.
Instituição de uma guarda fixa na fortaleza do Morro de São Paulo, recrutada entre os moradores das ilhas.
O Conde de Sabugosa, Vasco Fernades Cesar De Menezes, Vice-rei, ordena a criação de um ponto de fiscalização no Morro, estabelecendo controle sobre a região, de acesso às minas de ouro do interior.
O Conde de Sabugosa inicia ambiciosas obras de extensão na fortaleza do Morro de São Paulo. Constrói o 'Forte da Ponta', ou Tapirandu, que ainda existe, em ruínas, e é o que hoje comumente chamamos de 'forte'. Também são construídos os pequenos fortes do Zimbeiro e o do São Luiz, ao alto do Morro, dos quais hoje só restam pequenos fragmentos.
O Conde de Sabugosa suspende a obrigação de fornecimento de mandioca às tropas da fortaleza, atendendo ao pedido dos produtores.
O Conde de Sabugosa inicia a construção da muralha que acompanharia o canal de entrada ás águas de Tinharé, integrando o conjunto da fortificação. Vinte anos mais tarde, essas obras ainda estariam inacabadas.
Construção da Fonte Grande, com a contratação de um arquiteto francês, para o abastecimento das tropas com água.
Em sua fase áurea, o forte do Morro contava com cinco construções e baterias em muros de 678m de extensão, 51 peças de artilharia e uma guarnição com 183 homens, sendo uma das maiores do Brasil.
Uma tempestade danifica a fortaleza do Morro. As obras de restauração só se iniciam após 20 anos.
Famosa polêmica na corte sobre as reais necessidades de restaurar-se o forte do Morro. Os dois fortes menores são classificados como ruínas.
Sob a supervisão de Domingo Álvares Branco Muniz, as obras de restauração conferem ao forte do Morro o seu aspecto atual.
Santo Amparo é elevada à vila de Nova Valença do Santíssimo Coração de Jesus, desmembrando-se de Cairú.
Êxodo da população de Boipeba para o continente, Boipeba perde a categoria de vila. Jequié, atual Nilo Peçanha, situada à sua frente, no continente, eleva-se à vila e passa a chamar-se Nova Boipeba.
O almirante Lord Thomas Cockrane e suas forças estabelecem base para as operações da primeira esquadra brasileira na baía de Tinharé, no âmbito das lutas da independência. Nesse período, parte dos canhões da reserva de artilharia da fortificação do Morro é transferida para Salvador.
Completam-se as obras da nova igreja de Nossa Senhora da Luz, em Morro de São Paulo.
Nova Boipeba acaba perdendo o status de vila para Taperoá. O engenheiro J. Monteiro Carson da fábrica de tecidos de Valença constrói o farol do Morro de São Paulo.
O Imperador Dom Pedro II visita Morro de São Paulo. Acréscimo das inscrições no portal do forte e portaló do Morro de São Paulo.
Escavações ilegais são feitas na igreja de Velha Boipeba, aparentemente em busca de um tesouro.
1946
Desconhecidos dizendo-se autorizados fazem escavações na Fonte Grande em Morro de São Paulo, danificando-a. 

Significado do Nome:

M'boi pewa - é uma palavra tupy que quer dizer "cobra chata", em referência a tartaruga marinha, existente no lugar, de onde se originou o nome Boipeba.

Aniversário da Cidade:

Gentílico:

População: 

Boipeba é um dos locais de colonização mais antigo da Bahia, sua população é de miscigenação de negros, índios e europeus, principalmente portugueses e holandeses.

A População vive basicamente da pesca do artesanato local e mais recentemente do turismo. Com os povoados vizinhos como Velha Boipeba, Moreré, Monte Alegre e São Sebastião, totalizam-se em media de quatro mil habitantes.

hspace=0 CARACTERÍSTICAS:

A Ilha de Boipeba é um dos lugares mais lindos do litoral baiano. Boipeba é cercada de um lado pelo oceano e de outro pelo estuário do Rio do Inferno e se destaca por uma rara beleza natural e grande diversidade dos seus ecossistemas. Vale a pena conhecer a região e se encantar pela beleza exótica do lugar.

Clima: 

Quente e úmido 

Temperatura Média:

25,3º C  

hspace=0 COMO CHEGAR:

-Partindo de Salvador: BR- 101 até o Município de Valença e depois BA- 542 ou escuna ou lancha com saída pela Rampa do Mercado Modelo.

-Do aeroporto de Salvador partem pequenos aviões para a Ilha de Boipeba. A viagem demora 30 minutos.

Localização:

Município do Sul do Estado da Bahia 

Limites:

Valença, Taperoá, Nilo Peçanha e Oceano Atlântico 

Distâncias:

-Salvador/BA - 308 Km   

hspace=0 TURISMO:

Resumo:

A Ilha de Boipeba tem uma costa protegida por recifes de corais. O mar tranquilo convida para nadar, mergulhar e fazer passeios de barco. Tem várias praias de areia clara com plantações de coqueiros que permitem desfrutar as belezas da ilha na sombra de palmeiras.

Principais Pontos Turísticos:

-Praia Tassimirim

  -É a primeira praia voltada para o Oceano Atlântico. Na maré baixa se formam pequenas piscinas, onde pode se mergulhar na água rasa. 

-Praia da Coeira

  -É uma enseada com um extenso coqueiral. A praia é ideal para se banhar, nadar ou fazer algum esporte aquático.

-Praia de Moreré

  -Se estende até o povoado de Moreré. É uma praia com recifes que afloram na maré baixa e formam grandes piscinas de água morna.

-Praia de Bainema

  -É a praia mais extensa da ilha com areia clara e água cristalina.

-Passeio de lancha

  -O passeio de lancha em volta à Ilha de Boipeba passa pelas piscinas naturais, a Ponta dos Castelhanos, a Coroa Grande e Cova da Onça.

-Ponta dos Castelhanos

  -É uma praia deserta com recifes de corais. O local recebeu seu nome por causa do galeão espanhol Madre de Diós, que naufragou ali no século 17.

-Coroa Grande

um banco de areia em frente ao Rio dos Patos que emerge na maré baixa.

-Passeio na Mata

  -O interior da ilha ainda preserva algumas matas que têm uma grande variedade de árvores, cipós, orquídeas, pássaros e animais silvestres.

hspace=0 EVENTOS:

Calendário de Janeiro a Dezembro:

-Fevereiro 

  -Festa de Iemanjá - Festa onde nativos devotos de Iemanjá saem de suas casas para ofertar presentes ao mar em agradecimento às bênçãos recebidas.
A saída é da Praia de Boca da Barra e do povoado de Moreré, onde você pode participar junto aos nativos de Boipeba levando o seu presente para a rainha do mar.

  -Lavagem do Beco - Carnaval - Realizado por jovens nativos que reúnem para lavar as ruas de pedras, a festa acontece na ressaca de carnaval, para participar é só comprar a camiseta e você poderá participar juntamente com moradores e nativos. No local da festa algumas bandas tocam, mas o atrativo são os nativos que se divertem dançando músicas locais.-Festa do Divino Espìrito Santo - É a festa do padroeiro da Ilha de Boipeba, onde moradores fazem novenas, missas e procissão, juntamente com baianas e pescadores devotos de Santo Antônio.

A festa acontece na praça onde várias bandas e pessoas de outros lugares vem para festejar, sem falar nas barracas que vendem comidas típicas e bebidas.

-Junho

  -Festas Juninas - Festa nas quais moradores montam barracas na Praça Santo Antônio, acontecem também quadrilhas com moradores juntamente com estudantes, essa festa conta com algumas bandas de outros lugares que vem tocar até o dia clarear. 

-Dezembro  

  -Réveillon - Comemorando a virada na Praia de Boca da Barra onde nativa juntamente com os turistas festejam a virada do ano contemplando a queima de fogos que é realizada na Fazenda Pontal e depois é só festa nos kiosks e restaurantes da primeira praia. 

hspace=0 INFORMAÇÕES ÚTEIS:

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAIRU DISTRITO DE BOIPEBA

E-mail: [email protected]

Telefones: (75) 3653-2151

Sites: http://www.cairu.ba.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTA:

Terminal Rodoviário São Domingos  

Av. Santiago Campostela
Salvador-BA
Telefone: (71) 3431-7355

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:

CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

OFÍCIO DO REGISTRO CIVIL E TABELIONATO DE NOTAS:

E-mail: [email protected] 

Telefones: (75) 8109-3954

Sites: http://portal.mj.gov.br/

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites de Fotos e Informações: 

-www.e-pousadas.com
     
-www.sct.ba.gov.br

-www.members.aol.com

-http://pt.wikipedia.org/

-www.amabo.org.br

-www.revistaturismo.cidadeinternet.net.com.br

-www.geocities.com

-www.projetobr.com.br

-http://www.panoramio.com

-http://www.pontosturisticosbrasil.org

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE: 

-Em virtude do patrimônio natural, a ilha está integrada à Área de Preservação Ambiental das Ilhas de Tinharé e Boipeba. A região foi reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera e Patrimônio da Humanidade, estando inserida no Corredor Central da Mata Atlântica.

-Boipeba contempla floresta densa da Mata Atlântica, restinga, dunas, extensos manguezais e praias paradisíacas com coqueirais e recifes de grande valor ecológico e paisagístico.

-Os recifes se estendem pela costa e tornam as praias abrigadas das ondas e correntes. Estes recifes são muitos largos e cortados por canais e poças.

-Têm uma grande variedade de corais, algas, peixes, moluscos, ouriços, estrelas e outros. Além disso, pode-se constatar a existência de tartarugas marinhas na região, as quais desovam em diversas praias da ilha.

-Em razão da importância do patrimônio natural e a necessidade de proteção dos ecossistemas das Ilhas de Tinharé e Boipeba, o Governo do Estado da Bahia criou a Área de Proteção Ambiental (APA) das ilhas Tinharé e Boipeba em 1992.

Comentrios de Boipeba

Biopeba maravilhooosooooo!! Um dos lugares mais lindos que j conheci!! Espero voltar muitas vezes!
Por: cristiane borborema

Morei 3 anos em Boipeba. O q mais gostava era levantar de manh e sair pela praia at Morer. Uma noite de lua cheia na praia, tem igual. O mar fica todo prata, um brilho q tem como explicar. Um dia volto a morar l.
Por: Vera

Prais desertas, piscinas naturais formadas por arrecifes e uma maravilhosa vegetaao: um paraiso natural perfeito para quem deseja relaxar e aproveitar as maravilhas da natureza!!
Por: ricardo

0
hotis, pousadas e servios encontrados em Boipeba

Envie seu comentrio sobre Boipeba

banner