Escolha uma cidade
HOME   |   CADASTRE-SE NO PORTAL   |   ÁREA PARA PARCEIROS   



Conhece Guaratinguetá?
seta piscando Deixe seu comentário!
Envie suas fotos!

Guaratinguetá

INFORMAÇÕES | FOTOS |VíDEOS | HOSPEDAGEM | RESTAURANTES | AGÊNCIA DE TURISMO | IMOBILIÁRIAS | LOCADORA DE VEÍCULOS | GUIAS DE TURISMO | OUTROS




Roteiros do Brasil

Região Circuito Caminho do Rio Paraíba

 

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE

Desde os primeiros tempos, uma grande quantidade de garças marcava a paisagem daquela região às margens do rio Paraíba, entre as serras do Mar e da Mantiqueira. Os índios a denominaram Guaratinguetá, expressão que, na língua Tupi-Guarani, significa reunião de guarás-brancos.
O local já estava assim batizado quando por ele passaram os primeiros homens brancos, nos anos finais do século dezesseis. Eram grandes expedições de portugueses que acompanhados pelos índios, buscavam as regiões além da Mantiqueira, nas futuras Minas Gerais, onde sabiam existir ouro e pedras preciosas.
A fixação do povoador branco na região, entretanto, somente aconteceu a partir de 1628, com a doação a Jacques Felix e seus filhos, de datas de terras nos sertões do Rio Paraíba. Informa o primeiro Livro-Tombo da Matriz de Santo Antonio de Guaratinguetá que, por volta de 1630, no local da atual Matriz, foi erguida uma capelinha feita de pau-a-pique e coberta de sapé, sob a invocação de Santo Antonio de Pádua, cuja festa se comemora a 13 de junho. A invocação do santo fixa, assim, esta data, que está gravada à porta da Matriz, como início do povoado de Guaratinguetá, pois era uso do colonizador português batizar o local com o nome do santo do dia.
Em torno da capela se desenvolveu o povoado que, no ano de 1651, a 13 de fevereiro, por requerimento do Capitão Domingos Leme, foi levado a Vila de Santo Antonio de Guaratinguetá, sediando grandes extensões de terras, sendo a segunda vila do Vale do Paraíba.
No século XVIII Guaratinguetá, ponto de passagem para as Minas Gerais, torna-se o principal centro de abastecimento para os sertões mineiros.
A vila, modesta, com poucas e tortuosas ruas vivia de economia de subsistência. O comércio à beira da estrada, servia aos viajantes que por ela passavam. Além dos importantes fatos religiosos que marcaram sua vida, também é do século XVIII (1745) a missa celebrada no Morro dos Coqueiros, a primeira com benção da Capela de Nossa Senhora Aparecida. Apesar de perder neste século o território de Cunha (1785) que se emancipou, a prosperidade do açucar se fazia presente, com grande produção nos engenhos. Entre 1795 e 1798 o futuro padre e regente do Império, Diogo Antonio de Feijó estudou em Guaratinguetá com o licenciado Guaratinguetaense Manoel Gonçalves Franco.
As primeiras décadas do século XVIII assistiram à passagem de inúmeros viajantes estrangeiros que, em seus livros e registros iconográficos, deixaram valiosos documentos sobre Guaratinguetá.
A vila possui vida basicamente rural, sendo aos domingos e feriados procurada para o culto religioso. O café assumia a condição de primado econômico na medida em que os engenhos de açucar decaiam. Com o café vem o desenvolvimento econômico, político e social. Em 1844 foi elevada à categoria de cidade, em 1852 à comarca. Mudam as características da cidade. A mão-de-obra aumenta sensivelmente. As construções são ampliadas, enriquecidas. O dinheiro do café transforma a vida urbana. Os filhos dos fazendeiros são levados à estudar na corte e na Europa. O comércio de mercadoria que chega pelo porto de parati, expande-se. Chega em lombo de burros, das tropas que fazem a circulação antes da chegada da estrada de ferro (1877).
Tanto em 1868, quanto em 1884 a Família Imperial esteve em Guaratinguetá, e em 1869 a Irmandade do Senhor dos Passos dá uma Santa Casa à cidade. Com a abolição da escravatura ocorre a chegada dos imigrantes para a substituição de mão-de-obra escrava.
Em 1892, instala-se a Colônia do Piagui.
Também na última década do século XIX inaugura o Teatro Carlos Gomes (atual prefeitura), constrói-se a Ponte Metálica, inaugura-se o banco Popular, o Mercado Municipal, a Caixa d’Água, a rede de esgoto urbano e a instalação do primeiro grupo escolar da cidade no Edifício Dr. Flamínio Lessa.
O século XX é saudado com o alteamento das torres da Matriz (catedral), a construção da Escola Complementar, a inauguração do colégio Nogueira da Gama e uma série de melhoramentos como a rede elétrica, a inauguração da Estação Ferroviária em 1914, o nascimento da Associação Esportiva de Guaratinguetá em 1915.
Francisco de Paula Rogrigues Alves, nascido em Guaratinguetá em 1848 (falecido em 1918) havia sido conselheiro do Império, deputado, Presidente da Província de São Paulo e duas vezes eleito Presidente da República.
As terras já estavam cansadas ao tempo da morte de Rodrigues Alves. A mão-de-obra escrava já não existia. A cultura cafeeira declinava.
A agropecuária extensiva tomava o lugar do café. Aparecida e Roseira são emancipadas. Há mais perda de território.
Atrelada ao processo de industrialização incipiente da região, a partir da terceira década do século surgem empreendimento e associações que mudam mais uma vez as características urbanas. Emerge sua vocação comercial como se, a voltar no tempo, quando passagem prestava serviços à beira dos caminhos, Guaratinguetá no limiar do 3º milênio encontra-se em sua história oferecendo-a e seus serviços, ao conhecimento e ao lazer de visitantes. 

Frei Galvão

Antônio de SantAnna Galvão
(1739-1822)

Hoje, com quinhentos anos de história, o Brasil pode finalmente apresentar ao mundo o seu primeiro Beato, Frei Antônio de SantAnna Galvão, nascido em Guaratinguetá, no Estado de São Paulo, cidade não distante do Santuário nacional de Nossa Senhora Aparecida. Frei Galvão nasceu em 1739 de uma família profundamente piedosa e conhecida pela sua grande caridade para com os pobres. Baptizado com o nome de Antônio Galvão de França, depois de ter estudado com os Padres da Companhia de Jesus, na Bahia, entrou na Ordem dos Frades Menores em 1760.

Foi ordenado Sacerdote em 1762 e passou a completar os estudos teológicos no Convento de São Francisco, em São Paulo, onde viveu durante 60 anos, até à sua morte ocorrida a 23 de Dezembro de 1822.

A vida de Frei Galvão foi marcada pela fidelidade à sua consagração como sacerdote e religioso franciscano, e por uma devoção particular e uma dedicação total à Imaculada Conceição, como «filho e escravo perpétuo». Além dos cargos que ocupou dentro da sua Ordem e na Ordem Terceira Franciscana, ele é conhecido sobretudo como fundador e guia do Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição, mais conhecido como «Mosteiro da Luz», do qual tiveram origem outros nove mosteiros. Além de Fundador, Frei Galvão foi também o projectista e construtor do Mosteiro que as Nações Unidas declararam  Património cultural da humanidade.

Enquanto ele ainda vivia, em 1798 o Senado de São Paulo definiu-o «homem da paz e da caridade», porque era conhecido e procurado por todos como conselheiro e confessor, além de o franciscano que aliviava e curava os doentes e os pobres, no silêncio da noite.

Frei Galvão convida-nos a crescer em santidade e na devoção a Nossa Senhora da Conceição e deixa a todos nós brasileiros a grata mensagem de sermos pessoas da paz e da caridade, sobretudo para com os pobres e os marginalizados.

Com muita fé dizemos: «Frei Galvão, intercede pelo teu e nosso Brasil!».

Significado do Nome

 

Guaratinguetá é uma palavra que veio do tupi-guarani e significa guará (garça), tinga (branca), eta (muito): muitas garças brancas. 

Aniversário da Cidade

13 de Junho 

Gentílico:

guaratinguetaense

População:

112.091 habitantes  

hspace=0 CARACTERÍSTICAS:


Clima:

Quente e seco 

Temperatura Média:

22º C  

hspace=0 COMO CHEGAR:


Localização:

Município do Vale do Paraíba no Estado de São Paulo 

Limites:

Piquete, Lorena, Cunha, Lagoinha, Aparecida, Roseira, Pindamonhangaba, Campos do Jordão e Delfim Moreira (MG) 

Acesso Rodoviário:

Rodovia Juscelino Kubitschek De Oliveira a BR-459, que liga Paraty (Rio de Janeiro) a Poços de Caldas
Rodovia Presidente Dutra a BR-116
Rodovia Paulo Virgínio
Rodovia João Martins Corrêa 

Distâncias:

Da Capital:

176 Km

Outras:

 

 

hspace=0 TURISMO:

Resumo:


Principais Pontos Turísticos:

 Arquitetura

Associação Comercial e Industrial (1822)

Marco da Revolução Constitucionalista. Em 1932 abrigou a Casa do Soldado durante a revolução, onde eram costurados uniformes, preparadas e servidas refeições para os soldados. Rua Mal. Deodoro, 67.

Instituto Nossa Senhora do Carmo (1892)

Primeira casa das Irmãs Salesianas no Brasil, erguido com paredes de taipa e pau-a-pique, com telhado em madeiramento de pinho de Riga, possui artística capela, com altar mor em mármore de Carrara e bronze, pré-fabricado na Itália. Praça Joaquim Vilela O Marcondes, 360.

Prédio da Prefeitura Municipal (1894)

Inicialmente a construção começou par abrigar o Teatro Carlos Gomes e finalizou-se como Teatro Municipal. Em estilo neclássico, o teatro, considerado um dos melhores e mais bonitos de todo o Estado paulista, foi desativado em 1930 para sediar a Escola de Farmácia e Odontologia e na mesma década para lá mudou-se a Prefeitura Municipal. Praça Homero Ottoni, 75

Escola Estadual Prof. Flamínio Lessa (1915)

Serviu inicialmente como quartel de manobras. Sua primeira função educacional foi a de abrigar os alunos da Escola Complementar de Guaratinguetá, enquanto se construía novo prédio daquele estabelecimento, destruído por um incêndio em 1916. Hoje restaurado, é tombado pelo Condephat. E considerado Monumento Histórico Municipal pelo seu grande valor arquitetônico. Rua Tamandaré, 145.

Edifício Flamínio Lessa (1877)

Doado ao Estado sob a condição de servir à educação e ao ensino. Em seu frontispício vê-se símbolos maçônicos. R. Visconde de Guaratinguetá, 224.

Escola Estadual Conselheiro Rodrigues Alves (1919)

Solar Rangel de Camargo (1866)

Residência particular, é um monumento de indiscutível valor histórico e arquitetônico, tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico de São Paulo. Casarão assobradado, originariamente erguido em taipa e pau-a-pique. Durante a Revolução de 1932 foi tomado por tropas constitucionalistas e federais, servindo de posto de abastecimento e correio. Marco político local, em seus porões eram impressos, na década de 1920, o jornal O Pharol. Foi restaurado pelos proprietários em 1982. Rua Frei Galvão, 48.

Estação Ferroviária (1914)

O edifício da Estação de Ferro da Central do Brasil é um dos mais belos exemplares da arquitetura inglesa no Vale do Paraíba. Desativada há alguns anos, é tombada como Patrimônio Histórico Estadual. Embora não seja permitida a visitação enquanto não terminarem as obras de restauração, tem telhas de ardósia e requintados detalhes arquitetônicos. A Praça Condessa de Frontin, que fica em frente, é um dos mais arborizados e agradáveis logradouros da cidade. Praça Condessa de Frontin, 78/110.

Escola de Especialistas da Aeronáutica

Centro de formação de Sargentos Especialistas do Brasil e América Latina, destacando-se sua Banda Sinfônica e Galerias de Grandes Pintores do Brasil. Com área aproximada de 10.100.000 m2. É o maior estabelecimento do gênero da América Latina. (Fone: (12) 523-1200)

Museu Frei Galvão

Fundado em 1972, mantido pelo Centro Social de Guaratinguetá e pelos Amigos do Museu tem como patrono o franciscano Frei Antonio de Sant’Ana Galvão. Em seu acervo, telas imagens e móveis de Guaratinguetá de ontem e hoje. Com mais de 50.000 documentos catalogados sobre a história do município e região, divididos por assuntos. Paraça Conselheiro Rois Alves, 48, 2º andar – Centro Histórico.

Arquivo Memória de Guaratinguetá

Instituto de Estudos Valeparaibanos

Museu Histórico e Pedagógico Conselheiro Rodrigues Alves

Fundado em 1981, o prédio foi construído em taipa de pilão e passou a ser moradia do Conselheiro Rodrigues Alves quando de seu casamento em 1891. Em 1932, sediou a base da Cruz Vermelha e também de tropas federais. Sofreu sua última reforma em 1986, e atualmente conta com mobiliário, objetos pessoais e documentos do estadista. A casa do Conselheiro é o único Monumento Nacional tombado pelo IPHAN em Guaratinguetá e arredores.

Santa Casa (1869)

Instituto Nossa Senhora do Carmo (1892)

FEG/UNESP

Conceituada instituição pública de ensino superior em 176.000 m2 de área.

Mercado Municipal (1889)

Produtos Artesanais: cestarias, farinhas, melado, rapadura, artesanato, gamelas, colheres de pau, pilões, doces secos, em potes, queijos. Centro de recepção e distribuição de mercadorias hortifrutigranjeiras do município e redondezas. Sua estrutura, toda em arcos, com adro interno dotado de chafariz, sofreu grandes estragos por ocasião de incêndio ocorrido em 1958. Rua Dr. Martiniano, s/n.

Turismo Religiosso

Casa de Frei Galvão (1739)

Reformada por iniciativa particular em 1989 em comemoração dos 250 anos de seu nascimento, guarda memória do primeiro beato brasileiro. O material da reconstrução foi reaproveitado a partir do original, e um dado curioso é que só na ocasião foi instalado um sanitário, pois na época não existia sistema de escoamento de esgotos. A casa é tombada pelo município por seu valor histórico e por sua arquitetura que conserva o estilo Colonial da época. Rua Frei Galvão, 78.

Igreja do Convento Franciscano de Nossa Senhora das Graças

A Igreja Nossa Senhora das Graças, parte importante do acervo de bens culturais e religiosos de Guaratinguetá, é um dos maiores testemunhos de fé e coragem deste povo. Construída em 1936, a Igreja do Convento Franciscano de Nossa Senhora das Graças, é tombada como monumento histórico municipal.
Endereço: Rua Vigário Martiniano, 288 – Centro

Capela do Colégio Nossa Senhora do Carmo

O prédio teve sua construção iniciada em 1887 e terminada no final do ano de 1891. Do altar da Capela vê-se a linda estátua de Nossa Senhora do Carmo e em cuja sumidade da torre de centro e trinta palmos de altura se vê também a estátua da padroeira do Colégio.
Endereço: Praça Joaquim Vilela O. Marcondes, 360

Mosteiro da Imaculada Conceição (1962)
 
Ordem das Monjas Concepcionistas (enclausuradas). Tem bonita capela com imagem da Imaculada Conceição e Santa Beatriz. Via Dutra, km 61.

Catedral de Santo Antônio (1630)

Origem do núcleo urbano de Guaratinguetá. Seu interior possui altar em estilo barroco-valeparaibano, rococó mineiro e imagens barrocas. Há uma pequena capela com a imagem de Frei Galvão em tamanho natural.

Igreja de Santa Rita (1846)

Erguida por uma devota com auxílio de escravos e esmolas do povo. É de grande beleza a imagem de Santa Rita de Cássia. O oráculo da igreja é entalhado em madeira de origem européia.

Casa do Puríssimo Coração de Maria (1924)

Construído para ser um orfanato às meninas pobres, hoje é administrado pela Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora. Localizado em local de grande beleza paisagística, em seu jardim ergue-se a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes (1921) e sua água abençoada, local de constantes romarias vindas de todas as partes do Brasil.

Seminário Frei Galvão (1942)

Local muito procurado por romeiros e turistas, o seminário recebe alunos de todo o Brasil para formação religiosa franciscana, solicitado par retiros espirituais e encontros para estudos de temas religiosos. De seus jardins, ergue-se monumental estátua de Nossa Senhora de Fátima, obra em cimento armado. Conta com um acervo de objetos pessoais que pertenceram a Frei Galvão. É também no Seminário que são distribuídas as Pílulas de Frei Galvão. Localiza-se ao centro de bem cuidada chácara, na saída da cidade para Lorena, a 1 km da Via Dutra.

Igreja de São Benedito (1898)

Construída em louvor ao protetor dos homens pretos. Nessa igreja, no Domingo de Páscoa e na Segunda-feira, realiza-se anualmente a Festa de São Benedito, uma das mais tradicionais do Vale, que conta com cavalarias, levantamento do Mastro, Rei, Rainha e corte, doces para o povo e grandiosa procissão.

Igreja de São Expedito (1953)

É a única igreja dedicada ao Santo no Estado de São Paulo. Está localizada na Rodovia Guará-Cunha, a 22 km do centro da cidade, próximo ao município de Cunha

Passeios Ecológicos

Tanto na Serra do Mar quanto na Serra da Mantiqueira vários são os pontos de interesse turístico: búfalos, garças, carros de boi, leite ao pé da vaca, pesqueiros e a beleza natural exuberante, espalhando-se pelos bairros da Pedrinha, Gomeral, Pilões (sopé da Serra da Mantiqueira), Piagui (colônia de imigrantes europeus, em especial italianos), Rocinha (caminho da Serra do Mar), Machadinho, Barragem dos Mottas.

Povoado de Pedrinhas

O acesso é feito pela Estrada Vicinal Tancredo Neves. São 19 km de asfalto. O trajeto é bastante bucólico, marcado por antigos casarões de fazendas, pequenos sítios, criação de gado, etc. No povoado encontra-se um pequeno núcleo rural com infra-estrutura básica para a comunidade.

Águas da Mantiqueira – (particular)

Balneário fluvial com área gramada e presença de eucaliptos. Propício para atividades de banho em pequenos poços de 2 m de profundidade, 300 m de comprimento e 5 m de largura.

Povoado do Gomeral

A partir do povoado de pedrinhas, o acesso se denomina Estrada Parque José Jorge Boueri, e são 36 km de terra até o Horto em Campos do Jordão. De Pedrinhas a Gomeral o percurso é de apenas 17 km, e a paisagem neste trecho da estrada já toma contornos de uma região serrana, marcada pela presença de altos picos e colinas com mata exuberante. A altitude de aproximadamente 1600 metros privilegia a vista das cidades de Guaratinguetá e Aparecida.

Queda D’Água

Na beira da Estrada Parque José Jorge Boueri a 17 km do povoado de Pedrinhas, é um atrativo de beleza cênica, pois propicia apenas a observação da beleza natural do local.
Cachoeira da Onça (Estrada Parque José Jorge Boueri até o truteiro de Gilberto Felippo, pegando uma estrada de terra) – queda d’água de 20 metros e cuja parte escavada forma um poço de 12 metros de diâmetro.
Trilha da Pedra Grande do Gomeral (Estrada José Jorge Boueri – o acesso se dá por uma trilha em frente a Pousada D’Anna, cuja altitude é de 1250 m, e a subida de mais ou menos 800 m) – trilha com vegetação remanescente da Mata Atlântica até a base da pedra. Pico rochoso não muito alto que propicia bela visão do municípios ao redor. Atividades recomendadas: caminhadas nas trilhas e percursos rasos dos ribeirões, banho de cachoeiras, alpinismo, rapell, raid de jeep, asa delta, paraglider, passeios de bike. A partir do truteiro pode-se encontrar diversas trilhas com pequenas quedas d’água. Para atividades de asa delta e paraglider, os locais mais propícios são o paredão localizado acima da igreja de São Lázaro (no Gomeral) e o paredão localizado na Fazenda Esperança (Pedrinhas/ Taquaral).

Povoado do Taquaral

Localiza-se entre os povoados de Pedrinhas e a Colônia do Piagui. A estrada de acesso é margeada pelo Ribeirão Taquaral, utilizada para banhos.

Colônia do Piagui

Caracterizado como o cinturão verde da cidade, em sua paisagem predominam as plantações de arroz e hortaliças.
Caixa dágua - inaugurada em 1897, com visão panorâmica de Guaratinguetá. Sua construção data de 1897 e lembra uma pequena fortaleza. De lá têm-se uma vista espetacular da cidade, servindo como mirante.

Povoado da Rocinha

Localiza-se ao lado direito da Via Dutra, sentido SP-RJ. Seu acesso é feito pela Via Paulo Virgílio (Estrada Guará-Cunha) sentido Cunha-Paraty. São 21 km de estrada asfaltada do centro de Guaratinguetá até o núcleo rural do bairro da Rocinha. De lá até Cunha, mais 30 km. Possui cultura peculiar do roceiro, potencializando a tradição caipira do interior do Estado de São Paulo, fundida com a cultura mineira (a culinária da região reflete tal cultura: galinha à caçarola, doces e quitutes). O trajeto é marcado por uma paisagem tipicamente rural mesclada com a presença da Serra do Mar e da Mata Atlântica, a partir de Cunha sentido Paraty (apesar de haver placas indicando trânsito interditado até Paraty, é possível chegar até aquela cidade litorânea utilizando-se este acesso, embora as condições da estrada não sejam boas.

Bairro dos Mottas

O acesso é feito pela Estrada Vicinal dos Mottas. Neste bairro o destaque especial é para a Barragem dos Mottas que é uma represa formada pelos ribeirões Bonfim e dos Mottas. Possui uma extensão de 2 km, com largura que varia de 100 a 200 metros. Toda a represa é envolvida por um bosque de pinus americano, com altura alternando entre 30 e 40 metros. Ali é possível ver capivaras, tatus, veados, pacas e jacus. Nas águas da represa são encontradas grande variedade de peixes, como traíras, tilápias, carpas e bagres.

Povoado dos Pilões

Situado no alto da Serra da Mantiqueira, na divisa com o Estado de Minas Gerais, possui o ponto mais alto do município – a Pedra do Focinho do Cão, com 2000 metros de altitude. Destaca-se pelo encontro das águas dos rios Piagui e Pilões, oferecendo aos visitantes um balneário de águas claras e belíssima vista. Bastante explorado para o turismo de veraneio, com residências para alugar por temporada às margens do Rio Pilões.

Mosteiro de Belém

Monumento religioso erigido por padres alemães. Cantos gregorianos todas as manhãs.

Trilhas dos Pilões

Acesso pela Estrada dos Pilões até o início da Fazenda Pan Brasil em direção a São Francisco dos Campos no município de Delfim Moreira, sul de Minas Gerais.
Trilha histórica utilizada no ciclo do ouro, a subida através das escarpas da Serra da Mantiqueira é pesada, variando de 4 a 5 horas. Tem vasta vegetação entrecortada por riachos e cachoeiras.
Foi implantado pelas Secretaria Municipal de Agricultura e Secretaria de Esporte e Turismo, um Projeto de Turismo Rural e Ecológico, que visa, em parceria com a iniciativa privada, a incrementar a atividade turística já existente na região, incentivando a criação de um roteiro turístico atrelado à produção agrícola e às belezas naturais.

hspace=0 EVENTOS:

Calendário de Janeiro a Dezembro:


Fevereiro

Carnaval: Com um público estimado em 40 mil pessoas, sendo de cidades da região e de outros estados. É considerado um dos mais importantes eventos do Interior Paulista, com desfile de Escolas de Samba e Carnaval de Salão.

Abril

Semana Santa - Festa de São Benedito: Iniciou-se em 1757, tendo como característica principal a Cavalaria de São Benedito e São Gonçalo, com participação de aproximadamente 2000 cavaleiros, incluindo a Polícia Militar do Estado e a Escola de Especialistas de Aeronáutica, assim como, toda a comunidade. A festa se desenvolve no Domingo de Páscoa e segunda-feira subseqüente.

Junho 

Aniversário da Cidade e Festa do Padroeiro - Santo Antônio:
13 - Caracteriza-se pela tradicional e secular distribuição do pão de Santo Antônio, que, segundo dizem, traz fartura e saúde àqueles que o consomem. Neste período, a cidade comemora sua data de aniversário, com atividades diversas, nas áreas esportiva, cultural, artística e de lazer.

Julho 

Festas julinas com artesanato, folclore, quadrilhas, fogueira, fogos, comidas e bebidas típicas, etc.
Corrida de 9 de julho - Iniciada em 1934, em homenagem aos combatentes da Revolução Constitucionalista.

Setembro 

Feira da Apae / Agropecuária - Esta Feira acontece no Recinto Permanente de Exposições Manoel Soares de Azevedo, localizado às margens da Via Dutra - km 61. A Feira da APAE, que está em sua 22ª edição, conta com a venda de Artesanatos, Produtos diversos, Exposições de Arte, Plantas e Shows Artísticos. Uma de suas características mais marcantes é a mobilização da comunidade local e regional, em favor da Entidade.

Dezembro 

Expofila - Evento nacional do clube de aprimoramento do fila brasileiro
Festas Natalinas - Folia de Reis - presépios, concurso de vitrines e shows.
Festa de Santa Rita - dia determinado pela Paróquia. 

hspace=0 Informações Úteis:

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARATINGUETÁ

E-mail: turismo@guaratingueta.sp.gov.br

Telefones: (12) 3128-2800

Sites: http://www.guaratingueta.sp.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTAS:

EMPRESAS DE ÔNIBUS DA REGIÃO:

Viação Cometa S/A:

SAC: 0800 942 0030
Deficientes Auditivos e da Fala
SAC: 0800 770 3603

Site: http://www.viacaocometa.com.br

EMPRESAS DE ÔNIBUS DA REGIÃO:

Pássaro Marrom Transportes S/A
SAC: 0800 285 3047

Site: http://www.passaromarron.com.br

Horários:

Site: http://www.emsampa.com.br/busjan/sp_828.htm

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:


CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

1º TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTO DE LETRAS E TÍTULOS 
 
Rua Pedro Marcondes, 73 - Bairro: Centro    
Guaratinguetá-SP - CEP: 12500-290

E-mail: pritab@uol.com.br
 
Telefone:
(12) 3133-3621 / 3133-3622 Fax: (12) 3133-3622 
 
Data Atualização: 23/02/2010 Horários: De 2ª a 6ª feira, das 9h às 17h.

Atribuições: Notas, Protesto de Títulos

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites: www.citybrazil.com.br

www.nossosaopaulo.com.br

www.valedoparaiba.com

http://pt.wikipedia.org

www.byoformula.com.br

http://portal.mj.gov.br

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE:

 

 


Conheça nossas opções de hotéis em Guaratinguetá e pousadas em Guaratinguetá para visitar Guaratinguetá.

Promova a cidade de Guaratinguetá no Férias. Envie-nos mais informações para alavancar sua cidade nesse novo contexto do turismo nacional!
Clique aqui.

 

 





 

HOME   |   CADASTRE-SE NO PORTAL   |   ÁREA PARA PARCEIROS   |   CONTATO

© Copyright 2014 - ferias.tur.br - Seu Portal de Turismo!