Escolha uma cidade
HOME   |   CADASTRE-SE NO PORTAL   |   ÁREA PARA PARCEIROS   



Conhece Santana do Riacho?
seta piscando Deixe seu comentário!
Envie suas fotos!

Santana do Riacho

INFORMAÇÕES | FOTOS |VíDEOS | HOSPEDAGEM | RESTAURANTES | AGÊNCIA DE TURISMO | IMOBILIÁRIAS | LOCADORA DE VEÍCULOS | GUIAS DE TURISMO | OUTROS




 

Roteiros do Brasil

Região Turística Coração das Gerais

 Circuito Parque Nacional da Serra do Cipó 

 

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE

No início de sua ocupação, o atual município de Santana do Riacho era denominado Riacho Fundo. A comunidade local conta, folcloricamente, que este nome e a sua ocupação se deu a um Bandeirante, que ao parar para descansar próximo a um riacho, o achou fundo e resolveu denominar a região de Riacho Fundo. Este mesmo Bandeirante, por considerar o local farto em riquezas minerais, decidiu explorá-lo acabando por entrar em contato com a civilização indígena. Em um dia de caça, o Bandeirante encontrou-se com uma índia e uma criança sozinhas que a acompanhava perdidas. O Bandeirante resolveu ajudá-las, acolhendo as duas. Entretanto, poucos meses depois, a índia morreu, sendo que o Bandeirante teve que cuidar da criança sozinho. A indiazinha cresceu e ambos tiveram várias gerações de descendentes, sendo o início do povoamento da região. Entretanto, o primeiro registro de exploração da região consta de 22 de Maio de 1744, data quando foi concedida ao Sargento-mor Antônio Ferreira de Aguiar e Sá a região do Riacho Fundo, através de uma Carta de Sesmaria, tornando-se Fazenda Riacho Fundo, pertencente a Comarca de Serro Frio. A propriedade mantinha limites com Sabará, com Rio de Pedras, com a propriedade de José de Souza e com a propriedade de João Fragoso, denominada Serra da Lapa. O licenciado Antônio Ferreira de Aguiar e Sá foi, pois, o primeiro povoador, reconhecido pela lei, do local onde está hoje a cidade de Santana do Riacho. Como se percebe, no limiar do século XVIII, a região em volta da Santana do Riacho já se encontrava conhecida e de certa forma ocupada.  Não é demais insistir no fato de que as datas, mesmo quando expressas nos documentos, apresentam certa margem de imprecisão como no caso da ocupação pelas atividades agro-pastoris, cuja legalização através das Cartas de Sesmaria só poderia se dar após a ocupação efetiva da terra e no caso da mineração, cujos novos descobertos nem sempre eram comunicados imediatamente após sua ocorrência. Caso típico era o da descoberta dos diamantes que só foi oficializada muito tempo após a descoberta, quando a extração já se processava sem nenhum controle da Coroa. Logo foi construída a capela local, com provisões que datam 27 de Outubro de 1759, ao lado da qual foi se desenvolvendo um pequeno arraial, vindo posteriormente, como era de praxe para época, denominar-se Distrito de Riacho Fundo, pertencente á freguesia de Conceição do Mato Dentro, Comarca do Serro Frio. No entanto, a lei No 45 de 17 de Março de 1836 suprimiu o Distrito de Riacho Fundo, incorporando-o ao território de Morro do Pilar. Após muitas reivindicações locais, em 15 de Abril de 1844, através da lei No 271, Riacho Fundo voltou a ser Distrito, entretanto, não mais de Morro do Pilar e sim do Município de Conceição do Mato Dentro. Mais tarde, em 1911, após muitos atritos políticos, criações e revogações de inúmeras Leis, o Distrito de Riacho Fundo passou a pertencer ao Município de Santa Luzia. Em 17 de Dezembro de 1938, ao ser criado o Município de Jaboticatubas, pelo Decreto Lei No 148, o Distrito de Riacho Fundo, composto pela Sede do Distrito e suas inúmeras localidades, foi anexado ao novo Município.  
Durante 203 anos, deste a construção da Capela local em 1759, o Distrito Riacho Fundo permaneceu sem identidade territorial, sem autonomia, à margem das decisões políticas dos Municípios a que pertencia, sofrendo as dificuldades de um isolamento geográfico. Finalmente, através da Lei No 2.764 de 30 de Dezembro de 1962, o Distrito de Riacho Fundo foi desmembrado do Município de Jaboticatubas e elevado à Município de Santana do Riacho. Tão logo se efetivo a emancipação política, foi nomeado pelo Governador da época, para administrar o município, o Sr Antônio Alves Amora, que permaneceu como prefeito de 01 de Janeiro de 1963 a 30 de Agosto do mesmo ano. Neste período, realizou-se a primeira eleição através da qual elegeu-se o Sr José Ferreira Belisário, conceituado empresário local, empossado em 31 de Agosto de 1963. Desta data até os dias atuais foram empossados como prefeitos o Sr Antônio Alves Amora (1967 a 1970), o Sr Jorgino Tôrres de Aguiar (1971 a 1972), o Sr João Germano de Lima (1973 a 1976), o Sr Laerte Batista Marques (1977 a 1982), a Sr Neide Maria Marques (1983 a 1988), o Sr José Inácio Filho (1989 a 1992), o Sr Antônio Geraldo da Silva (1993 a 1996), e o atual prefeito, o Sr Eustáquio Martins Gomes (1997 a 2000). No final dos anos 60 e inicio dos anos 70 as lapas vizinhas dos Gentios e da Sucupira foram saqueadas por peões, a serviço de um famoso colecionador de Belo Horizonte, e alguns curiosos começaram a visitar a região. Em 1973, F. Paiva descobriu a “Lapinha do Cipó”, outro sítio arqueológico da região, entretanto, em 1974, os saqueadores devastaram toda a riqueza do local. No entanto, em 1976, graças a uma informação dada pela proprietária do Hotel Veraneio, A . Laming-Emperaire chegou ao “Abrigo de Santana do Riacho”, intacto por estar na propriedade da Companhia Industrial de Belo Horizonte. Desta forma, este sítio arqueológico passou a ser denominado de “Grande Abrigo de Santana do Riacho”. Na mesma época estavam ocorrendo prospecções em toda a região, levando a descobrir um total de 28 ocorrências, entre sítios rupestres, aldeias ceramistas a céu aberto ou conjunto de casas subterrâneas, nos municípios de Baldim, Jaboticatubas, Santana do Pirapama e Santana do Riacho. Os estudos da região foram realizados por pesquisadores da UFMG e pesquisadores franceses, sendo que o material recolhido encontra-se no setor de arqueologia da UFMG e no Musée de l’Home de Paris. O “Grande Abrigo de Santana do Riacho” é composto por 7 camadas estratigráfica, no solo, cada uma com uma idade cronológica diferente, aumentando a medida que se aproxima da camada mais profunda, bem como perturbações antrópicas diferentes. Desta forma, pela análise das camada do terreno pertencente ao “Grande Abrigo de Santana do Riacho”, o homem começou a ocupar a região há aproximadamente 10.000 anos. Um dado interessante é a de que as pintura rupestres não foram feitas através de extratos vegetais e sim a partir de óxidos e hidróxidos de manganês e ferro, ambos presentes na região da Serra do Cipó. Além destes, foram também utilizados como pigmento para as pinturas rupestres os fragmentos de ninho de cupim e fragmentos de grafita. Através destes materiais, pode ser obtido diferentes tons de cores, entre os quais, estão o creme, o amarelo claro, o amarelo escuro, a mostarda, a laranja, o rosa, o vermelho claro, o vermelho escuro, o vermelho vinho, o marron e o preto.  

Significado do Nome


Aniversário da Cidade

01 de Março

Gentílico


População

4.023 habitantes

hspace=0 CARACTERÍSTICAS

Cachoeiras, rios com águas claras e cristalinas. Tudo isso e muito mais você vai encontrar em Santana do Riacho. Confira!

Clima

Tropical 

Temperatura Média

19 ºC 

hspace=0 COMO CHEGAR

Localização

Metropolitana de Minas

Limites

Congonhas do Norte, Santana de Pirapama, Baldim, Jaboticatubas, Morro do Pilar, Conceição do Mato Dentro, Itambé do Mato Dentro.

Acesso Rodoviário

MG - 010 

Acesso Rodoviário:


Distâncias:

Da Capital:

129 km

Outras:


hspace=0 TURISMO

Resumo:

Principais Pontos Turísticos

Caminho dos Escravos

Em um local cercado por uma vegetação de cerrado, encontra-se O Caminho dos Escravos. Feito de pedras pelos antigos escravos, com aproximadamente 4 metros de largura e 600 metros de comprimento, este caminho foi muito usado  por viajantes que iam da antiga Vila Rica a Diamantina. Suas pedras justapostas estão unidas com rara perfeição.

Escultura do Seu Juquinha

À margem da estrada, é impossível não se encantar com a escultura do Seu Juquinha. Conta a lenda que ele foi um andarilho e oferecia uma sempre-viva para cada visitante que encontrava. Logo após a sua morte, turistas alemães fizeram a merecida homenagem.

Artesanato

O artesanato de Santana do Riacho oferece muitos objetos trabalhados em palha e bambu. Pode-se encontrar de tudo: cestas, forro para teto, bilhas de barro, peneiras de bambu, vassouras de capim.  

hspace=0 EVENTOS

Calendário de Janeiro a Dezembro:

 Julho

27 - Festa da Padroeira N.Sra. Senhora de Santana.

hspace=0 INFORMAÇÕES ÚTEIS:

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO RIACHO

E-mail:

Telefones:

Sites:

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTA:

Rodoviaria de Belo Horizonte-MG - Terminal Israel Pinheiro

Pça. Rio Branco, 100 - Centro
Telefone : (31) 3271-8933  

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:

CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

OFÍCIO DO REGISTRO CIVIL E TABELIONATO DE NOTAS:

E-mail:

Telefones: (31) 3718-6149

Sites: http://portal.mj.gov.br/

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites: http://pt.wikipedia.org/

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE:

 


Conheça nossas opções de hotéis em Santana do Riacho e pousadas em Santana do Riacho para visitar Santana do Riacho.

Promova a cidade de Santana do Riacho no Férias. Envie-nos mais informações para alavancar sua cidade nesse novo contexto do turismo nacional!
Clique aqui.

 

 





 

HOME   |   CADASTRE-SE NO PORTAL   |   ÁREA PARA PARCEIROS   |   CONTATO

© Copyright 2014 - ferias.tur.br - Seu Portal de Turismo!