Oliveira

Oliveira-MG

Bem-vindo a Oliveira!

Comece planejando a sua viagem para Oliveira utilizando o menu no lado esquerdo para escolher uma opção de hospedagem. Temos diversas pousadas em Oliveira e hotéis separados por categoria. Você também vai encontrar muitas fotos enviadas por internautas, para planejar o que fazer em Oliveira.

A cidade de Oliveira, localizada no estado de Minas Gerais (MG), foi fundada no ano de 1839. A localidade está em uma altitude de 982m em relação ao nível do mar, e possui uma população estimada em 37.637 habitantes. A área total de Oliveira é de 899,0km², e sua densidade demográfica é de 41,87hab/km² (habitantes por km²). O CEP da região de Oliveira-MG é 35540-000. Caso você possua informações atualizadas, utilize a área de comentário logo acima para nos enviar a atualização.

Informações de Oliveira

Roteiros do Brasil

Região Turística Caminhos do Interior

Circuito Turístico Campos Vertentes

 

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE

 “... o sertão se inicia aqui”. Assim escreveu o grande Guimarães Rosa em referência a Oliveira. Foi devido a uma estratégica localização é que surgiu o povoado que viria dar origem à cidade. Essa povoação na época colonial se encontrava entre a Vila de São João Del Rei, sede da extensa Comarca do Rio das Mortes, e o sertão do Alto Paranaíba, caminho para as minas de Goiás.
Hoje, Oliveira tem uma localização ainda mais privilegiada, quase às margens da BR 381- Fernão Dias, e fácil ligação com outras importantes rodovias.
A primeiras notícias oficiais que se tem da antiga localidade remontam à metade do século XVIII, quando, em 1754, Domingos Viera da Mota recebeu uma sesmaria em “Paragem do Campo Grande e Picada de Goiás”.
Vale aqui a explicação sobre essas duas denominações. O Dicionário Histórico Geográfico de Minas Gerais esclarece: “A Picada de Goiás era a designação escolhida para todas as sesmarias situadas nas vizinhanças daquele caminho desde São João Del Rei até Paracatu; da mesma forma, Campo Grande era expressão designativa de toda vasta região que ia de São João Del Rei até Goiás, ou melhor, até o Alto Paranaíba.”
Em 1758, a sesmaria de Domingos Vieira foi arrematada por André Diniz Linhares. No documento de diplomação, já há uma referência a Capela de Nossa Senhora de Oliveira. Poucos anos depois, têm-se referências sobre vários moradores que obtiveram sesmarias como: Josefa Maria de Sá, em 1765; Dr. João Antônio da Silva Leão, 1768; Antônio Ribeiro de Morais Castro, 1768; e Antônio Martins, em 1771.
Devido ao movimento de tropeiros e viajantes que iam e viam pelos sertões das Gerais, o povoado  ganhou novos moradores e novas casas, surgiram vendas e capelas. No dia 16 de Março de 1839, a freguesia foi elevada a Vila de Nossa Senhora da Oliveira, e pela lei provincial Nº 1102, de 19 de Setembro de 1861, a Vila foi elevada à Cidade com o nome de Oliveira.
A devoção a Nossa Senhora da Oliveira sempre foi muito popular em Portugal. Prova disso são as inúmeras paróquias a ela dedicadas nesse país. Em Minas Gerais, a devoção a Senhora da Oliveira chegou com os aventureiros que afluíam para a Capitania das Minas em busca do ouro e acabou dando nomes a algumas localidades como: o Arraial de Nossa Senhora da Oliveira do Piranga, Capela de Nossa Senhora da Oliveira de Borda do Campo, Capela de Nossa Senhora da Oliveira na freguesia do Sumidouro. Em Portugal, Nossa Senhora da Oliveira era invocada como padroeira dos oficiais confeiteiros, carpinteiros de carruagem e de carros em geral e dos picheleiros.
A economia municipal está centrada na agropecuária, nas pequenas indústrias, na prestação de serviços, no serviço público, em educação e comunicação. Na zona rural, a pecuária leiteira e a monocultura do café continuam predominando. A extração de granito também movimenta a economia da cidade.
A cidade orgulha-se de ser o berço de um dos maiores cientistas brasileiros, Carlos Justiniano Ribeiro das Chagas, descobridor da doença que leva o seu sobrenome. Ela também faz questão de cultivar suas tradições religiosas e culturais. A Festa de Nossa Senhora do Rosário é considerada uma das mais autênticas de Minas Gerais. É o único local que possui o quartel general das guardas de congo de Minas Gerais.  As celebrações em homenagem à padroeira, à Semana Santa e ao mês de Maria também são realizadas com toda fé. Quando o assunto é manifestação popular, o ótimo carnaval agita toda a região com seus blocos e escolas de samba.
Construções religiosas e civis do século XVIII, XIX e XX compõem o significativo patrimônio histórico da cidade, que vem sendo preservado e tem valorizado todas as fases da história e cultura oliveirense.

Gentílico

Oliveirense

Significado do Nome

 

A cidade dá nome à Microrregião de Oliveira, que abrange ainda outros oito municípios situados no extremo sul da região Oeste de Minas.

Aniversário da Cidade

19 de Setembro

População

39.469 habitantes

hspace=0 CARACTERÍSTICAS

Tem uma arquitetura marcada pela influência ibérica, sendo visivelmente a mais européia das cidades da região, influência expressa pelos grandes casarões do século XIX, estátuas e monumentos espalhados pela cidade.

Clima

Tropical

Temperatura Média

21,3º C

hspace=0 COMO CHEGAR

Localização

Oeste de Minas

Limites

Carmo da Mata, Carmópolis de Minas, Passa Tempo, São Tiago, Bom sucesso, Santo Antônio do Amparo, São Francisco de Paula e Resende Costa.

Acesso Rodoviário

BR-381, BR-369, MG-23, MG-58 

Distâncias:

Da Capital:

162 km

Outras:

Brasília: 810 km

Buenos Aires: 2640 km

Campinas: 430 km

Curitiba: 840 km

Divinópolis: 73 km

Itaúna: 110 km

Juiz de Fora: 250 km

Lavras: 90 km

Petrópolis: 360 km

Poços de Caldas: 295 km

Pouso Alegre: 245 km

Ribeirão Preto: 410 km

Rio de Janeiro: 420 km

São João Del Rey: 99 km

São Paulo: 440 km

Três Corações: 154 km

Uberlândia: 520 km

Varginha: 170 km

hspace=0 TURISMO

Resumo:

Principais Pontos Turísticos

Escola Estadual Francisco Fernandes

É um belo casarão do século XIX doado pelo Coronel Francisco Fernandes de Andrade e Silva para abrigar um grupo escolar que se tornou uma das instituições de ensino mais famosas de Oliveira. A inauguração do grupo ocorreu em 21 de abril de 1909. Em 1996, o prédio foi restaurado, reavendo, novamente, suas características originais. 
Localização: Rua Doutor Carlos Chagas, nº 143, Centro.

Escola Estadual Professor Pinheiro Campos

É um outro belo exemplo de casarão do século XIX. Em 05 de setembro de 1930, foi instalado nesse prédio o Ginásio Mineiro, segundo autorização do Presidente de Estado, Doutor Antônio Carlos Ribeiro de Andrada. Em 1937, passou a se chamar Ginásio Professor Pinheiro Campos, e na década de 70, o nome foi alterado para Escola Estadual Professor Pinheiro Campos. Na década de 80, o prédio passou por diversas obras de restauro.
Localização: Rua dos Passos, nº 04, Centro.

Escola Estadual Desembargador Continentino

Seguindo as tendências arquitetônicas das primeiras décadas do século XVIII, o antigo Grupo  Escolar Desembargador Continentino foi construído em estilo eclético. Sua inauguração aconteceu em 1930. Os responsáveis pela construção foram os engenheiros Paulo Euler e Alberto Woods Soares. Até hoje, a escola é uma referência educacional na cidade.
Localização: Rua Francisco Cambraia Campos, nº 622, Centro.

Escola Estadual Mário Campos e Silva

Também em estilo eclético, a função original desse prédio foi sediar um Hospital Colônia, tendo como modelo a instituição de Barbacena. Mas, seu objetivo principal era atender aos casos de neuropsiquiatria infantil. Em 1928 e 1929, as obras foram conduzidas pelo engenheiro José Zurquim. A partir da década de 50, o prédio abrigou várias instituições de ensino na área comercial.
Localização: Rua Oswaldo Cruz, n° 289, Bairro São Sebastião.

Casa da Cultura 

Esta bela e imponente construção teve seu início em 1884 para ser residência da família do Coronel Teodoro Ribeiro de Oliveira e Silva. Em 1913, o imóvel foi vendido para o Estado que, alí, instalou o Primeiro Passo Judiciário de Oliveira. Até 1977, foi sede do Fórum.
Pelo Decreto-lei nº 19.112, de 28 de março de 1978, a casa foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico – IEPHA. Hoje, a casa abriga também o Arquivo Público e o Memorial Carlos Chagas e possui uma ativa vida cultural. Nela, acontecem exposições de arte, aulas de pintura, apresentações teatrais e outros eventos culturais.  

O Memorial Carlos Chagas

Em 1º de dezembro de 1983, foi criado o Memorial Carlos Chagas com o objetivo de resguardar e divulgar a trajetória do cientista oliveirense Carlos Chagas. O Memorial também possui um programa de incentivo à pesquisa nacional sobre a doença de Chagas e seus aspectos de profilaxia, tratamento e erradicação, concedendo, em 9 de julho de cada ano, a medalha de mérito às pessoas e instituições que vêm se destacando nesse trabalho. 
O acervo possui quadros, livros, medalhas e fotos referentes e pertencentes a Carlos Chagas.
Funcionamento: das 8 às 18 horas. 

Catedral de Nossa Senhora de Oliveira 

Em dezembro de 1929, teve início a construção da Catedral de Nossa Senhora de Oliveira, no mesmo local onde existiu a Capela de Nossa Senhora do Rosário. Sua conclusão, entretanto, só ocorreu 56 anos depois. O projeto, de autoria de Pedro Bax, foi idealizado dentro das linhas do ecletismo, estilo então predominante na década de 20. Os estilos que inspiraram a construção foram o românico e o gótico. Devido ao fato da construção ter se arrastado por vários anos, o projeto inicial não foi respeitado, o que motivou diversas alterações.
Seu momento mais importante foi quando ocorreu sua sagração como Catedral da Diocese de Oliveira.

Conjunto Paisagístico da Praça da Praça XV Novembro 

Seja religioso, profano ou civil, a Praça VX de Novembro é o espaço dos eventos e a grande referência de Oliveira. Como em todas as cidades que surgiram dos pequenos povoados, as transformações urbanas foram inevitáveis ao longo do tempo. Além do testemunho arquitetônico da Matriz setecentista, a praça conta com vários exemplos da arquitetura civil colonial e do ecletismo do final do século XIX e princípio do século XX. O prédio que abriga a atual Casa da Cultura, ali situado, foi o grande destaque nesse período.
No passado, esta praça era conhecida como Largo da Matriz, justamente por abrigar o principal templo da cidade. Ela já abrigou inclusive o cemitério de Oliveira. Até a segunda metade do século XIX, os sepultamentos eram realizados no interior das igrejas.  Mas, a partir dessa época, a Saúde Pública proibiu esta prática no interior dos templos e a solução foi criação dos cemitérios ao lado das igrejas. Só após a Proclamação da República foram organizados no Brasil os cemitérios municipais. 
Hoje, é na Praça XV que pulsa a vida comercial e financeira da cidade. 

Coqueiro abraçado 
 
Uma figueira e um coqueiro entrelaçados um ao outro se tornaram um ícone curioso de Oliveira. Este fenômeno biológico bem raro evoca para o oliveirense sentimentos de amor, carinho e harmonia.  Todos que visitam Oliveira fazem questão de conhecer o inusitado abraço dos dois vegetais.

Igreja do Senhor dos Passos 

As celebrações da Semana Santa estão diretamente ligadas a essa singela capela que possui linhas arquitetônicas simples. Sua construção foi iniciada, provavelmente, na primeira década do século XIX, ganhando sua única torre, central, por volta de 1831.
Nesse templo, está guardada uma relíquia da Santa Cruz que foi enviada pelo Papa João XXIII à Diocese de Oliveira, após o pedido de Dom José Medeiros Leite, primeiro bispo de Oliveira. Até hoje, é aqui que se celebra as principais cerimônias da Semana Santa na cidade. 
A igreja também possui uma imaginária de alta qualidade.  As duas principais obras - um Senhor dos Passos e uma Nossa Senhora das Dores - foram esculpidas, em 1876, no Porto, Portugal, por João da Fonseca Lapa. Após uma viagem de três meses entre Rio de Janeiro e Oliveira, essas imagens foram recebidas com muita alegria e festa pelo povo, que ficou arrebatado com a beleza das esculturas. 

Igreja Matriz de Nossa Senhora de Oliveira 

 “Quase oliva speciosa in campis”

A Matriz de Nossa Senhora de Oliveira é o mais importante patrimônio religioso do município.  Sua construção teve início, provavelmente, entre os anos de 1754 e 1758, quando o Padre Miguel Ribeiro da Silva propôs ao povo erguer um novo templo em substituição à capela que já estava em precárias condições. A construção só foi finalizada em 1856 com a conclusão da última torre.
Seu projeto arquitetônico segue as linhas do barroco-rococó - em voga na Capitania de Minas Gerais na segunda metade do século XVIII - com torres redondas e frontão com recortes sinuosos. Sua portada apresenta um belo e sóbrio trabalho em pedra sabão, no qual se tem um nicho com a imagem da Virgem trazendo nos braços o Menino Jesus.
O ponto alto da decoração interna é o forro da capela-mor. A temática é a Virgem sendo coroada pela Santíssima Trindade. A cena está dentro de um medalhão todo cercado de singelas flores, bem ao gosto da decoração rococó. Complementando a pintura ao redor do forro, estão os quatro doutores da igreja e os quatro evangelistas. O conjunto da obra é de extrema graciosidade.   
No templo, tem-se a inscrição “Quase oliva speciosa in campis”, que significa “qual oliveira espiosa no campo” e serve,  hoje, como um lema para Oliveira.  
No final da década de 80, a igreja foi restaurada, o que valeu a respeitável observação: “a restauração da matriz de Oliveira é exemplo de tomada de consciência e participação de uma comunidade em defesa de seus bens culturais. A Igreja setecentista recupera suas características originais, após um cuidadoso restauro.” ( Ângelo Oswaldo)

Monumento ao Cristo Redentor 

Este monumento inaugurado em 1996 é uma referência para a cidade de Oliveira. Instalado em um local estratégico, a 700 metros de altitude, pode ser visto de todos os pontos da cidade, inclusive à noite, devido a sua boa iluminação. Dele, têm-se a melhor vista da cidade. O local onde está instalado é conhecido como Morro do Cristo. 
 
Pedra Balão 

É uma pedra de formas redondas, que lembra um balão, sustentada por outras de porte bem menor. Esta interessante formação que mede cerca de 4,5 metros de altura está localizada na Fazenda do Sr. Geraldo Machado, a 6 km do centro de Oliveira.

Referências Urbanas 

AVENIDAS 

Avenida Pinheiro Chagas

Logo no início dessa movimentada avenida, o visitante já se depara com os importantes casarões de Oliveira, datados do princípio do século XX. A Pinheiro Chagas é uma das avenidas mais importantes da cidade, tanto que, em 1999, ganhou um projeto paisagístico que lhe deu vida nova.

RUAS

Rua Doutor Coelho Moura

Famoso ponto de encontro dos Oliveirenses, essa rua era a principal via comercial de Oliveira até a década de 60. É nela que se concentram os munícipes e visitantes para as folias do carnaval.
Uma curiosidade desta via está situada mais precisamente na esquina com a Praça José Ribeiro Silva: trata-se de um antigo poste de iluminação pública que foi preservado e ainda possui um sistema de roldana através do qual o acendedor subia e descia o lampião.

PRAÇAS

Praça Mãe dos Homens

Este é o ponto inicial de Oliveira. Ali, teve origem o povoamento, bem às margens da Picada de Goiás. Nela, foi erguido o primeiro templo local, em homenagem a Nossa Senhora Mãe dos Homens. Atualmente, no centro dessa praça, existe uma imagem em homenagem a Senhora Mãe dos Homens. 

Praça Manuelita Chagas

Seu antigo nome foi Praça do Cruzeiro. Ela já foi um importante espaço para a cidade, pois era ali que ficava a Estação Ferroviária, o que acabou gerando uma concentração de casas comerciais. Nela, estão o Palácio Episcopal e o Hospital São Judas Tadeu, construído no lugar da antiga Estação. A praça também já foi o ponto preferido por políticos para a realização de comícios. O nome atual é uma homenagem à educadora Manuelita da Costa Chagas, fundadora da Escola Normal de Oliveira.

IGREJAS

Capela Nossa Senhora da Misericórdia

De inspiração gótica, essa capela foi inaugurada em 16 de setembro de 1929 para ser a Capela da Santa Casa de Misericórdia. Ocupou esta função até 1970 quando foi inaugurado o Hospital São Judas Tadeu.  A partir de então, passou a pertencer à Paróquia de Nossa Senhora de Oliveira. 
Localização: Rua da Misericórdia , s/nº.

Igreja Nossa Senhora da Aparecida

È nessa igreja que acontece a grande festa em homenagem a Nossa Senhora da Aparecida em Oliveira. 
Localização: Praça Miguel Madeira, s/nº.  Bairro Aparecida

MONUMENTOS

Monumento aos Pracinhas

Este monumento de 1968 é uma homenagem ao pracinha Omar Bento do Nascimento, morto em campo de batalha, e a todos os que lutaram na Segunda Grande Guerra.
Localização: Praça Pio XII, s/nº. Centro

hspace=0 EVENTOS

Calendário de Janeiro a Dezembro:

- Festa do Congo

- Carnaval - É um dos mais tradicionais do Estado, tendo como símbolo o mascarado Cai-N Água e o bloco Pelo Amor de Deus, como uma das atrações.

- Semana Santa - Consta de atos litúrgicos internos e de tradicionais e grandiosas procissões luminosas à moda setecentistas com Irmandades, figuras bíblicas (destaque para a Madalena e Verônica), imagens do sec. XIX, crianças vestidas de anjo, acompanhamento de música barroca, etc.

- Festa do Mês de Maria  

 Outubro

03 à 12 - Jubileu de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.
Orações da Novena, celebrações Eucarísticas, consagração a Nossa Senhora Aparecida, procissões.

hspace=0 INFORMAÇÕES ÚTEIS:

PREFEITURA MUNICIPAL DE OLIVEIRA

E-mail: prefoliv@vertentes.com.br

Telefones: (37) 3331-1787 / 4130

Sites: http://www.oliveira.mg.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTA:

E-mail:

Telefones: (37) 3331-2322 / 2575

Rodoviária de Belo Horizonte-MG - Terminal Israel Pinheiro

Pça. Rio Branco, 100 - Centro
Telefone : (31) 3271-8933 / 3000

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:

CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

1º TABELIONATO DE NOTAS:

E-mail: 1oficiodenotas@gmail.com

Telefones: (37) 3331-8888

Sites: http://portal.mj.gov.br/

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites: http://pt.wikipedia.org

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE:

0
hotéis, pousadas e serviços encontrados em Oliveira
Fundação:
1839
Altitude:
982m
População:
37.637 habitantes
Área:
899,0km²
Densidade Demográfica:
41,87hab/km²
CEP:
35540-000

Não conheço totalmente essa querida cidade, mas o pouco que conheço, habilita-me e autoriza-me a dizer sem sombra de dúvida de que é uma cidade maravilhosa e acolhedora das nossas Minas Gerais. Parabéns, Oliveira! Parabéns, meu querido povo oliveirense. VICENTE MOREIRA MARTINS-RUA PRIMEIRO DE MAIO, 290-A-CACHOEIRINHA-31130-130-BELO HORIZONTE-MG.
Por: Vicente Moreira Martins

conheço a cidade a anos e nao abro mao de passar o carnaval em oliveira,pois o carnaval la e otimo um dos melhores que ja fui e espero que este ano nao seja diferente.
Por: claudia

claro,que conheço,pois aqui moro e vivo.A,melhor coisa de nossa terra é o seu carnaval, e desuas outras tradições maravilhosas e bastantes conhecidas no país.Lamento,que o nosso carnava,tenha decaído tanto nos últimos anos,com o fim das escolas de sambas,lamentamos muitíssimo por isto que desmaselo total é este com as nossas melhores tradições.sinto-me na obrigação de Oliveirense desabafar um pouquino da minha indignação.Desde ,lhe s agradeço o espaço.para batermos este papo cultural e saudavel!
Por: Cantidio Ribeiro Da Silva

Sou filha de Miguel Madeira que é nome de uma Praça local.Meus pais moraram aí na década de 1940.Sempre falaram com muito carinho da cidade .Hoje Miguel Madeira é falecido e moramos em Caratinga desde que saimos dai.Estou feliz por ver as fotos de minha cidade natal.
Por: maria josé

Essa e aminha cidade e morro de saudades dela hoje moro em Sao Paulo,mas tenho muitas saudades dai
Por: Debora

Adorei Oliveira-MG. Uma cidadezinha limpa, pacata, mas ao mesmo tempo gostosa de viver. Com suas ladeiras e seu clima friozinho ao anoitecer e ao amanhecer tem o encanto das cidades mineiras interioranas que não há igual.
Por: Jackie

MEU PAI É FILHO DESTA CIDADE, PORISSO TENHO VISITADO O SITE. SEMPRE TIVE VONTADE DE CONHECÊ-LA, POREM NÃO SURGIU OPORTUNIDADE. ADORO AS FOTOS POSTADAS. ( ESTOU NO RIO GRANDE DO NORTE)
Por: jacinta do carmo miguel

Clima bom, povo hospitaleiro, ciodade em desenvolvimento. mulheres lindas. Carnaval, estou aí... parabens a todos..
Por: joao batista

ESTA CIDADE É REALMENTE MAGNIFICA LUGAR MELHOR PARA MORA NÃO TEM SOU FILHO DE OLIVEIRA NÃO MORO MAIS LÁ MAS MEU SONHO É VOLTAR PARA MINHA QUERIDA OLIVA CITY QUE LUGAR MARAVILHOSO É UM VERDADEIRO SONHO.TE AMO MINHA QUERIDA CIDADE.
Por: RODRIGO FERREIRA DA SILVA

As,festas de Oliveira sempre foram tradicionais,entre todas essas maravilhas estão as: Carnaval-Semana Santa-Festa Do Rosário ou como é conhecido entre algumas regiões do nosso estado como Congado ou Festa De Nossa Senhora Do Rosário Dos Prêtos,é uma manifestção quais duram uma semana,com suas Danças-Cantos-Fardas.Nós,Oliveirenses destacamos essas fortes partes do nosso folclore.Qto,ao Carnaval,foi no alge das nossas escolas de Samba,chegamos á ter mais de oito escolasde samba, fora os tradicionais blocos de rua,entre eles eu destaco o Pelo Amor De Deus,quais abre sempre o nosso Carnaval,arrastando milharesde pessoas.Vale,a pena conhecê-lo.Sejam bem-vindos a nossa cidade Oliveira.
Por: Cantidio Ribeiro Da Silva

oliveira e muito boa para se viver.e uma cidade calma e hospitaleira.adoro tudo que tem aqui.
Por: higor andrade dos santos

oliveira e uma cidade linda,cheia de lugares lindos,cada dia ela ta ficando muito linda,nasci e pretendo morar a vida toda aki,nao troco oliveira por nada,por nenhuma cidade, AMO OLIVEIRA....
Por: tainara aparecida

connheci a cidade de oliveira em 1991 e amei a cidade principalmente o carnaval de cidade, eu hoje vivo na espanha e tenho vontade de compra uma casa em e montar un negocio. e viver o resto de minha vida nestacidade .
Por: sandro

fui casada com um homem que morou muitos anos em Oliveira, o nome dele João Carlos Dinardi, conheci a cidade achei maravilhosa, linda. Espero voltar a essa cidade e encontra-la do jeito que sempre foi, linda.
Por: Irene Rodrigues Dinardi

eu amo oliveira eu fui criada ai tenho muita saudade por que mudei para b.h as festas ai sao de mais se for para falar sobre as coisas boas dai vou ficar ate amanha e nao vai da para escrever tudo
Por: taty amiga da tati do e-mail

Sou dai e moro foro a muito tempo. Mas Oliveira é a cidade mais linda, aconchegante e acolhedora. Tudo nela é lindo, vale a pena conhece-la. Amo Oliveira
Por: marina bortoloto das graças

Claro que conheço Oliveira.... nasci e vivi lá até 21 anos. Minha familia ainda mora lá. A cidade cresceu bastante. Tem um povo carismático que gosta bem de um papo. Sempre que posso fugo para lá.. Valeu Oliveira, continua sendo a cidade criança com cara de crescida.
Por: Pathy

EU CONHEÇO OLIVEIRA SIM E A CIDADE ONDE O MEU PAI NASCEU LA E MUITO BOM EU ADORO.... TENHO MUITOS AMIGOS LA CONHEÇO MUITAS PESSOAS EU ADORO LA E TUDO DE BOM.... BJAO TCHAU TCHAU....
Por: raiana

Morei em oliveira até meus quinze anos de idade no antigo casarão do Hotel S. Paulo, na praça quinze de Novembro.Sou filha de Cícero Vasconcelos Abucáter (in memorian) e Enir Paolinelli Abucáter. deixei também tios como Adélia irmã de meu Pai e Di nicácio, e Edmilson Nicácio, primo.Meu baile de debutantes foi inesquecível no oliveira clube. Fiz grandes amigos de infância, de colégio, professoras, que jamais esquecerei... Passei parte da minha infância e adolescência. Melhor dizendo, sou irmã de Margareth Viglioni Abucáter, casada com José Maria Viglioni.tenho familia também em Belo Horizonte, quando vou, passo uns dias em Oliveira que eu gosto tanto!!! Atualmente moro em Recife-PE.Saudades do carnaval de Oliveira, uma cidade tão acolhedora, tranquila e linda!! Grande abraço!
Por: Mª Elenice Paolinelli Abucáter.

Tenho orgulho em ter nascido e morar em Oliveira Terra do Cientista Carlos Chagas.Oliveira tem:uma das mais belas semanas santas:com cantos barrocos,motetos em latim,igrejas barrocas imagens tombadas pelo patrimonio historico.Além é claro mantem os costumes,a culinária,a religiosidade enfim tudo o que Minas Gerais tem de melhor.
Por: Marlon Silva Araújo

eu sou dai hoje moro em sao paulo mais mes de dezembro vou ai gosto muito adoro essa cidade
Por: vanice lopes

otima calma linpa cultivada bonita elegante e + adorooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo oliveri Escola Estadual Mário Campos e Silva Também em estilo eclético, a função original desse prédio foi sediar um Hospital Colônia, tendo como modelo a instituição de Barbacena. Mas, seu objetivo principal era atender aos casos de neuropsiquiatria infantil. Em 1928 e 1929, as obras foram conduzidas pelo engenheiro José Zurquim. A partir da década de 50, o prédio abrigou várias instituições de ensino na área comercial. Localização: Rua Oswaldo Cruz, n° 289, Bairro São Sebastião. Casa da Cultura Esta bela e imponente construção teve seu início em 1884 para ser residência da família do Coronel Teodoro Ribeiro de Oliveira e Silva. Em 1913, o imóvel foi vendido para o Estado que, alí, instalou o Primeiro Passo Judiciário de Oliveira. Até 1977, foi sede do Fórum. Pelo Decreto-lei nº 19.112, de 28 de março de 1978, a casa foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico – IEPHA. Hoje, a casa abriga também o Arquivo Público e o Memorial Carlos Chagas e possui uma ativa vida cultural. Nela, acontecem exposições de arte, aulas de pintura, apresentações teatrais e outros eventos culturais. O Memorial Carlos Chagas Em 1º de dezembro de 1983, foi criado o Memorial Carlos Chagas com o objetivo de resguardar e divulgar a trajetória do cientista oliveirense Carlos Chagas. O Memorial também possui um programa de incentivo à pesquisa nacional sobre a doença de Chagas e seus aspectos de profilaxia, tratamento e erradicação, concedendo, em 9 de julho de cada ano, a medalha de mérito às pessoas e instituições que vêm se destacando nesse trabalho. O acervo possui quadros, livros, medalhas e fotos referentes e pertencentes a Carlos Chagas. Funcionamento: das 8 às 18 horas. Catedral de Nossa Senhora de Oliveira Em dezembro de 1929, teve início a construção da Catedral de Nossa Senhora de Oliveira, no mesmo local onde existiu a Capela de Nossa Senhora do Rosário. Sua conclusão, entretanto, só ocorreu 56 anos depois. O projeto, de autoria de Pedro Bax, foi idealizado dentro das linhas do ecletismo, estilo então predominante na década de 20. Os estilos que inspiraram a construção foram o românico e o gótico. Devido ao fato da construção ter se arrastado por vários anos, o projeto inicial não foi respeitado, o que motivou diversas alterações. Seu momento mais importante foi quando ocorreu sua sagração como Catedral da Diocese de Oliveira. Conjunto Paisagístico da Praça da Praça XV Novembro Seja religioso, profano ou civil, a Praça VX de Novembro é o espaço dos eventos e a grande referência de Oliveira. Como em todas as cidades que surgiram dos pequenos povoados, as transformações urbanas foram inevitáveis ao longo do tempo. Além do testemunho arquitetônico da Matriz setecentista, a praça conta com vários exemplos da arquitetura civil colonial e do ecletismo do final do século XIX e princípio do século XX. O prédio que abriga a atual Casa da Cultura, ali situado, foi o grande destaque nesse período. No passado, esta praça era conhecida como Largo da Matriz, justamente por abrigar o principal templo da cidade. Ela já abrigou inclusive o cemitério de Oliveira. Até a segunda metade do século XIX, os sepultamentos eram realizados no interior das igrejas. Mas, a partir dessa época, a Saúde Pública proibiu esta prática no interior dos templos e a solução foi criação dos cemitérios ao lado das igrejas. Só após a Proclamação da República foram organizados no Brasil os cemitérios municipais. Hoje, é na Praça XV que pulsa a vida comercial e financeira da cidade. Coqueiro abraçado Uma figueira e um coqueiro entrelaçados um ao outro se tornaram um ícone curioso de Oliveira. Este fenômeno biológico bem raro evoca para o oliveirense sentimentos de amor, carinho e harmonia. Todos que visitam Oliveira fazem questão de conhecer o inusitado abraço dos dois vegetais. Igreja do Senhor dos Passos As celebrações da Semana Santa estão diretamente ligadas a essa singela capela que possui linhas arquitetônicas simples. Sua construção foi iniciada, provavelmente, na primeira década do século XIX, ganhando sua única torre, central, por volta de 1831. Nesse templo, está guardada uma relíquia da Santa Cruz que foi enviada pelo Papa João XXIII à Diocese de Oliveira, após o pedido de Dom José Medeiros Leite, primeiro bispo de Oliveira. Até hoje, é aqui que se celebra as principais cerimônias da Semana Santa na cidade. A igreja também possui uma imaginária de alta qualidade. As duas principais obras - um Senhor dos Passos e uma Nossa Senhora das Dores - foram esculpidas, em 1876, no Porto, Portugal, por João da Fonseca Lapa. Após uma viagem de três meses entre Rio de Janeiro e Oliveira, essas imagens foram recebidas com muita alegria e festa pelo povo, que ficou arrebatado com a beleza das esculturas. Igreja Matriz de Nossa Senhora de Oliveira “Quase oliva speciosa in campis” A Matriz de Nossa Senhora de Oliveira é o mais importante patrimônio religioso do município. Sua construção teve início, provavelmente, entre os anos de 1754 e 1758, quando o Padre Miguel Ribeiro da Silva propôs ao povo erguer um novo templo em substituição à capela que já estava em precárias condições. A construção só foi finalizada em 1856 com a conclusão da última torre. Seu projeto arquitetônico segue as linhas do barroco-rococó - em voga na Capitania de Minas Gerais na segunda metade do século XVIII - com torres redondas e frontão com recortes sinuosos. Sua portada apresenta um belo e sóbrio trabalho em pedra sabão, no qual se tem um nicho com a imagem da Virgem trazendo nos braços o Menino Jesus. O ponto alto da decoração interna é o forro da capela-mor. A temática é a Virgem sendo coroada pela Santíssima Trindade. A cena está dentro de um medalhão todo cercado de singelas flores, bem ao gosto da decoração rococó. Complementando a pintura ao redor do forro, estão os quatro doutores da igreja e os quatro evangelistas. O conjunto da obra é de extrema graciosidade. No templo, tem-se a inscrição “Quase oliva speciosa in campis”, que significa “qual oliveira espiosa no campo” e serve, hoje, como um lema para Oliveira. No final da década de 80, a igreja foi restaurada, o que valeu a respeitável observação: “a restauração da matriz de Oliveira é exemplo de tomada de consciência e participação de uma comunidade em defesa de seus bens culturais. A Igreja setecentista recupera suas características originais, após um cuidadoso restauro.” ( Ângelo Oswaldo) Monumento ao Cristo Redentor Este monumento inaugurado em 1996 é uma referência para a cidade de Oliveira. Instalado em um local estratégico, a 700 metros de altitude, pode ser visto de todos os pontos da cidade, inclusive à noite, devido a sua boa iluminação. Dele, têm-se a melhor vista da cidade. O local onde está instalado é conhecido como Morro do Cristo.
Por: Gabriela Vitoria Ferreira Rodrigues

Envie seu comentário sobre Oliveira