Martinópolis

Martinópolis-SP

Bem-vindo a Martinópolis!

Confira aqui as melhores pousadas em Martinópolis, fotos de internautas e informações atualizadas da cidade Martinópolis. Clicando em mais informações, você terá de locadoras de veículos até hotéis em Martinópolis para programar a sua viagem.

A cidade de Martinópolis, localizada no estado de São Paulo (SP), foi fundada no ano de 1938. A localidade está em uma altitude de 488m em relação ao nível do mar, e possui uma população estimada em 22.484 habitantes. A área total de Martinópolis é de 1.256,4km², e sua densidade demográfica é de 17,9hab/km² (habitantes por km²). O CEP da região de Martinópolis-SP é 19500-000. Caso você possua informações atualizadas, utilize a área de comentário logo acima para nos enviar a atualização.

Comentários de Martinópolis

Falar de Martinópolis, é dizer a beleza que a natureza produziu. qtos que dela saíram e para outros recantos foram, e com todo orgulho da terrinha, mostraram e mostram o qto. importante é ser filho de vclinda Martinópolis. Sou e tenho orgulho de tí, e desejo ao prefeito novoque ele divulgue o seu maravilhoso nome e tualinda natureza. Grandes nomes e homens que escreveram tua história, mas que não lembrados. Mas vc. é Linda Martinópolis.......
Por: José Espósito

Cidade bem próxiama de Presidente Prudente , acredito que possua +- 30.000 habitantes , plana , possuiu um Balneário muito bom, as pessoas sao acolhedoras , bem arboizada em fim um bom local para passar férias ou até mesmo morar.
Por: Adriano

Nasci em Martinópolis saí com 33 anos, meus tios ajudaram a construir a Matriz(familia Giroto),meu irmão ainda reside aí(Chicão Costa). visitando osite,a cidade está linda, o balneário, maravilhoso. Parabéns! Ter uma casa no balneário, continua sendo meu sonho de consumo. Um abraço a todos os Martinópolensses. Cuidem bem da minha terra nata. Zize Costa./ITU-SP.
Por: Zize Costa

Balneário da Represa Laranja Doce – Martinópolis – SP De janeiro a janeiro ela é freqüentada e venerada por turistas da cidade, da região e de outros estados do país. No final do ano, a partir de outubro até março, então, quando o verão está no auge e os flamboyants majestosos em toda a orla explodem em flores vermelhas e de todas as cores, a Represa Laranja Doce fica em ebulição. No verão na alta temporada de feriados, festas de fim de ano e carnaval já foi registrado a freqüência de 30 mil pessoas. Tanto na Cidade Balneária - o lado público - quanto no lado particular, onde estão localizados clubes badalados como o Jangada Country Clube o Clube Recreativo, e o Golfo Apart Hotel e o condomínio Vilage _, há uma ótima infra-estrutura para abrigar os turistas. Já no centro da cidade também há hotéis e restaurantes, como o Ouro Verde Hotel (agora com piscina e quadra esportiva) e Hotel Trianon; e entre os restaurantes e lanchonetes mais freqüentadas, o Stallo restaurante e churrascaria, Pizzaria Tarantela, Mega Lanches onde servem a tradicional picanha na brasa, Ouro Verde, Churrascaria e Pizzaria, restaurante do Tim, servindo comidas caseiras no forno a lenha, Pirâmide pastelaria, castelinho do sorvete dentre outros. O acesso à Represa foi facilitado depois da inauguração, em 1993, da rodovia Vereador Oswaldo Campioni Ascêncio, que liga a cidade de Martinópolis e o balneário, num total de 12 quilômetros. Com essa facilidade, o movimento também aumentou, bem como o número de eventos. A Prefeitura Municipal realiza no local eventos esportivos e agitos como grito de carnaval com trio elétrico. Além dos bailes do Hawaí e de São João, promovidos pelo Clube Recreativo, a Represa já sediou Campeonato Brasileiro de Jets Ski e carnaval temporão, com a presença de um trio elétrico, o Tapajós da Bahia. Torneios de outros esportes também acontecem na área, como de vôlei e de futebol de areia. Às suas margens, está implantado todo um complexo turístico, que constitui no maior centro de atração turística de quase toda a 10ª Região Administrativa do Estado de São Paulo e do norte do Paraná. Como chegar? Estamos a 494 km da Capital do Estado e a 22 km da cidade de Presidente Prudente – SP. Informações no Departamento de Turismo turismo@martinopolis.sp.gov.br Fone: 18- 3275-1496
Por: DEPARTAMENTO DE TURISMO

Sou de Rejente, me criei em Martinópolis, cidade que guardo bôas lembranças, mudei p/ São Paulo em 1950 Hoje tenho 76 anos e não esqueço Martinópolis onde deixei muitos amigos, alguns ainda estão por ai, gostaria de me comunicar com eles Deixo aqui um abraço saudoso ao povo orderiro de Martinópolis. Praia Grande, 16-8-09 João do Hotel.
Por: João Evangelista Viveiros Côrte

cidade maravilhosa, soude martinopolis morro de saudades um dia eu volto ai...saudades
Por: neide aparecida de carvalho

ola!eu e minha familia Moramos nessa cidade que é gostosa de viver,tenho desejo de um dia voltar a morar nessa cidade que é bela.parabens para alguns colaboradores que ajudam a cidade crescer e desenvolver e agora ser essa cidade maravilhosa! Obrigada!
Por: Alice Pereira dos santos

martinópolis é uma cidade limda e com muitas belezas naturais
Por: renato tardin da silva

eu moro em martinòpolis,nâo tenho o que reclamar da minha cidade.è uma cidade muito boa de morar,sair para as baladas.eu amo a minha cidade.um abraço para todos os martinòpolenses.boa noite.
Por: anderson santana da silva

naci em martinóplis e um ponto que deveria virar turitico na minha opinião é a caixoeira que tem depois da entrada da cidade de quem vem de prudente.e quero parabenisar o criador do martinóplis ao vivo pois consiguo ver minha cidade natal aqui de são paulo e ao vivo é muito bom apenas não consigo ouvir som que se pudesse seria o maximo.
Por: lair alves ferreira

é uma cidade maravilhosa para viajar nasci la e pretendo um dia voltar
Por: maycom

esta cidade e maravilhosa morei nele durante 9 anos posso dizer que foi os melhores anos de minha vida .
Por: marcos cides rodrigues

Conheco me senti motivada, ate comprei um terreno, gostaria de saber se posso ter esperanca em envestir mais porque e muito lindo
Por: arenita souza

saudades...meus avós moraram muuuuitos anos nessa cidade...morei, estudei e amei Martinópolis. Hoje em São Paulo, ainda penso em voltar para casa de meus avós saudosos...que ainda está ai. Meu coração está em Martinópolis.
Por: Lucilene

UMA BOA TARDE P/ TODOS AÍ EM MARTINÓPOLIS, EU ADORO ESSA CIDADE, TODO FERIADO EU ESTOU AI. O CLIMA É MARAVILHOSO,A REPRESA DELICIOSA.O CHEIRO DE MATO,AS PESSOAS DAÍ SÃO AUTÊNTICAS, É O TIPO DE CIDADEZINHA QUE EU GOSTARIA DE MORAR ATÉ FICAR BEM VELHINHA,ENFIM O CIDADE BOA.
Por: SANDRA MENITE TEIXEIRA

nasci em martinopolis faz seis anos q mudei morro d saudades amo martinopolis um dia eu volto abraços para todos
Por: livia

ola meu nome é iracema tenho 42 anos qdo tinha 7 anos de idade morei ai ,gostaria de saber se aindat em uma praça com televisão? pois naquela época não tinha tv em cas e eu adorava assistir la tyenho saudades obrigado
Por: IRACEMA NATIVIDADE DE LIMA ESPOLADORI

A cidade e maravilhosa mas em especial o balneario.
Por: janete souza santos

morei nesta cidade è maravilhosa e linda quero receber fotos da praça da estação de trem da lagoa do açude das estradas maravilhosa fico lembrando meu coração enche de felicidade.
Por: maria jose

martinopolis e uma linda cidade, pessoas maravilhosas e mtu recepitivas..... um bom lugar para passar bons momentos....
Por: elisangela souza santos soares

todos os meus familhiares moram em martinopolis fazem muitos anos pois meu sonho e morar com todos em martinopolis por que esta e a cidade da minha vida em que eu vive toda a minha infancia mais ainda moro em saobernardo do campo sp mas futuramente pretendo me mudar para esta terra maravilhosa que e martinopolis e rejiao rejiao essa que habita paz e tranquilidade ao contrario das grandes capitais pois martinopolis oferece todo o comforto de um cidade grande por isso deixo meu eterno carinho pela minha cidade natal de coracao um abraco a todos que ai habitam
Por: carlos jose ferreira santos

Nasci em Martinópolis. Deixei a cidade bem pequena, em 1959. Voltei 2 vezes depois de adulta, para rápida visita. Adorei rever a Usina (1979), onde meus pais nos levavam p/ brincar. Feliz de poder ver as fotos pela Internet. Felicidades aos moradores da cidade!!!
Por: Lúcia Harumi Yamanouchi

sim ja fui passo todo carnaval ai faz 2 anos q ñ vou mais pretendo ir en breve
Por: ana ligia

nao conhecço,apenas nasci la e nao voltei mais...adoraria conhece.bjs
Por: ferreira

Nossa Martinóplis é simplismente um cidade maravilhosa... morei nela durante a minha infancia, e ainda tenho uma casa no balneario laranja doce que passo todo final de ano e carnaval. sem comentarios morro de saudades e espero um dia poder voltar para esse lugar tão lindo!
Por: Thamires feles

MARTINOPOLIS TE AMO MUITO O AR QUE RESPIRO ME FAZ VIVER.O MEU VIVER COM VOCE E TAO GOSTOSO QUE VIVO SORRINDO OLHANDO PARA O LINDO CEU AZUL. TI AMO,TI AMO TI AMO!
Por: ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS

martinopolis e uma cidade muito linda e a praça nove de julho ficou otimo apos a reforma
Por: joao ramos da silva

Algum tempo atraz deixei neste local um comentario sobre Martinópolis, disse que nasci em Regente feijo e ainda muito cedo meus pais se mudaram para Martinópolis, onde passei minha infancia e juventude, por isso guardo com muito carinho o nome dessa cidade, guardo bôas lembranças do povo dai, e de meus colegas de infancias e juventude, dos quais me lembro té hoje assim como o Helio e o Téta que infelismente já faleceram, o Décio Viacava que ainda deve estar por ai, o Nélo bom de bola, o Enio Dalfabro, o Esquimo, o Mauro Espiga. Gumercido, Francisquinho, Nilo, Recife, etantos outros. Com essa turma eu e o Helio Sanches formamos o Pimenta, que durou algum tempo dpois que mudamos para São Paulo em !950. Qualquer dia vou a Martinópolis, tenho certeza que ainda encontrarei alguem conhecido. Hoje com 78 anos moro em Praia Grande e estou bem gosto de correr na praia e todo ano participo da mine maratona da TV tribuna de Santos, nessa prova participam 15000 atlétas, com muitos vindo do Kenia, da Itiópia e de muitos paizes da Europa. Faço isso para manter a saude em dia, quando envelhecemos é preciso fazer exercios se não já viu. (se alguns amigos que citei quizerem se cononicar comigo trei muito prazer). joaocorte1@hotmail.com
Por: João E.V.Côrte (João do Hotel)

eu conheço martinopolis pois morei nessa otima cidade dos 2anos aos 10 anos depois disso vim p o mato grossoaonde eu resido ate hoje tenho 31 anos e sinto muita vontade devisitar apareçendo uma otima oportunidade irei depois de muitos anos distante moro na cidade de sinop mt bjsss
Por: andreia c sales guimaraes

Informações de Martinópolis

 

 

 

Roteiros do Brasil

Região Centro Oeste Paulista

hspace=0 HISTÓRIA DA CIDADE

Em meados do século XIX, sertanistas mineiros, capitaneados por José Teodoro de Souza e Francisco de Paula Moraes, chegaram às terras de São Paulo que medeiam entre as águas do Peixe e do Paranapanema. Por seus picadeiros e agrimensores, palmilharam esse chão e se tornaram senhores de dois latifúndios distintos que se estendiam desde Campos Novos do Paranapanema até as barrancas do Rio Paraná.
Afrontando a Floresta inóspita e os Índios Coroados, seus primitivos habitantes, foram criando e aumentando áreas cultivadas. De Campos Novos e de Conceição do Monte Alegre cresciam lavouras de vegetação vigorosa, capazes de fazer os homens sonhar com futuro promissor.
A descoberta de terras férteis, logo, chegou ao conhecimento do Governo que passou a se interessar pelas riquezas que a região encerrava em seus mistérios. Entre outras providências, deu início a construção da estrada boiadeira rumo ao Mato Grosso, passando a montante da Cachoeira do Rio Laranja Doce (onde, mais tarde, a CAIUÁ construiu a Usina Hidroelétrica). Foi porém o prolongamento dos trilhos da Estrada de Ferro Sorocabana, iniciado em 1919, a partir de Botucatu, que realmente impulsionou o progresso.
Passageiros e mercadorias encheram o Trem de Ferro. A marcha para o Oeste começou a transformar a fisionomia do Sertão. A migração volumosa a forçar o fracionamento dos latifúndios. Contendas judiciais a se mesclar com lutas sangrentas, até que homens, organizados surgiram para capitanear a colonização, dentre esses homens, avulta a figura do Coronel João Gomes Martins, um fidalgo da Ilha da Madeira, que retalhou as terras de muitos dos municípios da região, especialmente, daquele a quem mais tarde, emprestaria o seu próprio nome.
O germem de Martinópolis foi um vagão de trem, desmontado da linha, que serviu de rancho à Turma da Conserva de José Giorgi e a gorita do Guarda Chaves da Estrada de Ferro. Nas cercanias do Vagão foram surgindo as primeiras casas de colonos. Em 1924, o Coronel João Gomes Martins, lançou o loteamento urbano de José Teodoro, paralelo aos trilhos. Logo surgiu a Estação de Trem, a Pensão Boiadeira de Raimundo Barbosa, o Comércio de Frederico Platizek e de Ângelo Bergamini. A fé dos colonos ergueu a pequena Igreja de madeira.
Abençoado por Deus, o lugarejo, sede da Colonização Martins, foi se transformando em verdadeiro formigueiro humano, com levas que chegavam de trem para o Novo Eldorado. Vida intensa, tangível, vibrante de rumores, surgida e movida como as ondas do Oceano.
Em 20 de Dezembro de 1929, o povoado foi elevado a categoria de Distrito de Paz com o nome de Distrito de José Teodoro. Em 1937, quando o Trabalho e as paixões mais agitavam a vida e o progresso do povoado, seu fundador, no auge de esplandente vitalidade, faleceu na Capital. João Gomes Martins Filho não permitiu que a bandeira da colonização caísse por terra, Tomou-a das mãos do pai e a levou avante, como em corrida de revezamento.
Em 12 de Janeiro de 1939, o Distrito de José Teodoro foi elevado a categoria de Município com o nome de Martinópolis e em 13 de Junho de 1945, com as maiores comemorações já verificadas em sua história, a terra dos Martins instalou solenemente a Comarca de Martinópolis.
Na década de 40, o Município se estendia por uma área territorial de 4.000 Km2, limitando-se com Regente Feijó, Presidente Prudente, Valparaizo, Guararapes, Tupã e Rancharia. Sua população já era de 25.000 habitantes, dos quais, 18.000 radicados nas Glebas da colonização Martins. No final dessa década e limiar do anos 50, Município de Martinópolis, tornou-se conhecida como o Rei do Algodão, após produzir 2.200.000 arrobas da malvácea em um única safra. Na década de 50, sua população chegou a 37.000 habitantes, sendo 29.000 na Zona Rural.
Nas décadas de 60,70 e 80, o êxodo rural, provocado pelo desestímulo à agricultura e pela industrialização desordenada, concentrada nos grandes centros urbanos, atingiu a economia de Martinópolis e com ela a sua população entrou em declínio.
Hoje, aos 58 anos de vida municipalista, o Município de Martinópolis, liderado pelo Prefeito José Valentim Neto, homem originário da terra, luta pela sua recuperação econômica acreditando nas Associações de Produtores Rurais alavancadas por incentivos públicos, onde os tratores e implementos agrícolas, fornecidos pela Prefeitura e administrados pelos próprios rurícolas deverão funcionar como o elemento catalisador na busca de futuro melhor para um povo, cuja vocação principal é a faina na terra. As atividades rurícolas, ainda hoje, se constituem na força propulsora da economia de Martinópolis, basicamente, sustentada pela Agricultura e pela Pecuária, somando-se a exploração do potencial turístico, concentrado na Represa Laranja Doce.
Martinópolis, no último senso do IBGE (1996), possui 21.361 habitantes: 17.352 nas áreas urbanas e 4.009 na zona rural. Seu território é atualmente, de 1.076 Km2, limitando-se ao Norte com Mariápolis, Pracinha, Parapuã e Sagres, ao Sul com Nantes, ao leste com Rancharia e ao Oeste com Caiabu, Indiana, Taciba e Regente-Feijó. 
Localizada a 35 km de Presidente Prudente e a 494 km da capital, visitada por moradores de várias partes do país,
devido a parentes de seus habitantes que estão espalhados, e a beleza de sua represa, a Laranja Doce, a 14 km do centro, a cidade de Martinópolis um dia já se chamou José Teodoro. Foi o primeiro nome do povoado e do distrito. Ao se expandir, a estrada de Ferro Sorocabana decidiu homenagear o desbravador, colocando seu nome numa das estações, cujo trilho segue em direção às barrancas do rio Paraná. Mas quando foi elevado a município, o nome foi alterado para Martinópolis, em 30 de novembro de 1938, pelo decreto nº 9775. A medida visou homenagear o coronel João Gomes Martins, considerado o principal colonizador. Já o decreto-lei nº 14.334, de 30 de novembro de 1944, elevou-o a foros da comarca, instalada solenemente em 13 de junho de 1945, com jurisdição inicial nos municípios de Indiana e Regente Feijó. O então povoado de José Teodoro – hoje Martinópolis – teve sua origem à margem da Estrada de Ferro Sorocabana. Era ali que moravam os trabalhadores que faziam a manutenção da estrada de ferro, fator determinante na formação do povoado. Estas estações da estrada de ferro serviam como ponto de abastecimento de água das locomotivas.
A influência do coronel João Gomes Martins foi uma peça principal para o desenvolvimento do povoado. Em 1924 os moradores reivindicaram a elevação à categoria de distrito de paz, e isso viria com a Lei nº 2.492, de 20 de dezembro de 1929.
Como as terras eram férteis e a produtividade correspondia com os lavradores, o distrito também foi se ampliando economicamente. 

Significado do Nome

  

Aniversário da Cidade:

13 de Junho 

Gentílico:

martinopolense

 

População:

24.260 habitantes 

hspace=0 CARACTERÍSTICAS:


Clima:

Tropical de altitude 

Temperatura Média:

20º C

hspace=0 COMO CHEGAR:


Localização:

Presidente Prudente 

Limites:

Nantes, Iepê, Rancharia, Parapuã, Sagres, Pracinha, Mariápolis, Caiabu, Indiana, Regente Feijó, Taciba  

Acesso Rodoviário:

SP-284 (Rodovias Prefeito Homero Severo Lins, Prefeito José Gagliard e Manilio Gobbi) / SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) / SP-327 (Rodovia Orlando Quagliato) / SP-225 (Rodovia Engenheiro João Baptista Cabral Rennó) / SP-280 (Rodovia Presidente Castello Branco) 

Distâncias:

Da Capital:

494 km 

Outras:

 

 

hspace=0 TURISMO:

Resumo:


Principais Pontos Turísticos:

Balneário Represa Laranja Doce
                                     
Martinópolis, através dos incentivos proporcionados pelo poder público, desenvolve em larga escala a incrementação do turismo, que resultou na propagação do seu nome, e conseqüentemente, elevou o conceito do Município na região, tornando-o conhecido e comentado em âmbito interestadual.
A Represa Laranja Doce, formada pelo Rio Laranja Doce e os Ribeirões Alegrete e Estiva, possui um espelho d’água de 170 alqueires, própria para a prática de natação, pedalinho, esqui-aquático, pesca e outros esportes.
Às suas margens, está implantado todo um complexo turístico, que constitui no maior centro de atração turística de quase toda a 10ª Região Administrativa do Estado de São Paulo e do norte do Paraná.
Aliado à beleza natural, no local foram edificados belas casas de veraneio, colônias de férias e condomínios. 

hspace=0 EVENTOS:

Calendário de Janeiro a Dezembro:

Aniversário do Município

Data: 13 de Junho

hspace=0 Informações Úteis:

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINÓPOLIS

E-mail: contato@martinopolis.sp.gov.br

Telefones: (18) 3275-9500 / 9506 ramal 9518

Sites: http://www.martinopolis.sp.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

E-mail:

Telefone:

INFORMAÇÕES AO TURISTAS:

EMPRESAS DE ÔNIBUS DA REGIÃO:

Transportes Andorinha S/A:

SAC: 0800 704 8780
deficientes Auditivos ou de Fala
SAC: 0888 703 5203

Site: http://www.andorinha.com

Horário de ônibus de São Paulo para Martinópolis:

EMPRESA TRANSPORTES ANDORINHA S/A

  Saída   Chegada Prevista  Paradas    Frequência    
   9:00          17:55                5*         diária         
 22:30            7:20                5*         diária        

Site: http://www.emsampa.com.br/busjan/sp_899.htm

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

E-mail:

Telefone:


CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS E DE INTERDIÇÕES E TUTELAS 
 
Rua Tenente Casimiro Dias, 420 - Bairro: Centro    
Martinópolis-SP - CEP: 19500-000 

E-mail: martnopolis@arpensp.org.br
 
Telefone: (18) 3275-1088 Fax: (18) 3275-1088
 
Obs: Guarda os acervos dos extintos Cartórios dos distritos de Guachos(CSN 11.799-4) Teçaindá(CSN 12.184-8)

Horários: De 2ª a 6ª feira, das 8h às 11h e das 13h às 16h.
 
Área Abrangência: Município de Martinópolis.
 
Atribuições: Nascimentos, Casamentos, Óbitos, Interdições e Tutelas.
 
OFÍCIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS, TÍT. E DOCUMENTOS E CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS: 
 
Rua Ricardo de Sousa Nunes, 171 - Bairro: Centro    
Martinópolis-Sp - CEP: 19500-000 
 
E-mail: rimartinopolis@gmail.com
 
Telefone: (18) 3275-1388

Horários: De 2ª a 6ª feira, das 8h às 11h e das 13h às 16h.
 
Área Abrangência: Municípios de Martinópolis e Indiana.
 
Atribuições: Registro de Imóveis, Registro de Títulos e Documentos, Registro Civil de Pessoas Jurídicas

CARTÓRIO ELEITORAL:

E-mail:

Telefone:

OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:

HOSPITAIS:

CORPO DE BOMBEIROS: 193

DELEGACIA DE POLÍCIA:

OUTROS:

E-mails e telefones:

Sites: http://pt.wikipedia.org

http://portal.mj.gov.br

PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:

 

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DA LOCALIDADE:  

 

 

 

0
hotéis, pousadas e serviços encontrados em Martinópolis
Fundação:
1938
Altitude:
488m
População:
22.484 habitantes
Área:
1.256,4km²
Densidade Demográfica:
17,9hab/km²
CEP:
19500-000

Envie seu comentário sobre Martinópolis